Na maioria dos países, os sites governamentais precisam ser acessíveis a todos, inclusive para pessoas com deficiência. Mas, em junho de 2025, o Ato Europeu de Acessibilidade (EAA) será implementado nos estados-membros da União Europeia. Esta diretiva também se aplica a sites de eCommerce, como lojas on-line. Talvez sua loja virtual?

O Ato Europeu de Acessibilidade Resumido

A EAA é uma diretiva (Diretiva 2019/882). Cada estado-membro terá que transformar essa diretiva em sua própria legislação nacional que afetará produtos e serviços. A partir de junho de 2025, essa legislação será aplicada nos países da UE.

Em mais detalhes, exemplos desses produtos e serviços são:

  • Sites de publicação de notícias com opção de assinatura;
  • Venda de produtos e serviços;
  • Plataformas de publicidade;
  • Prestação de serviços profissionais (por exemplo, médicos, advogados, agentes imobiliários);
  • Oferta de serviços de entretenimento e mídia;
  • Venda de serviços de telecomunicações.

Seu site faz parte dessa lista?

As microempresas não precisam estar em conformidade, mas planejam o futuro

Tornar um site existente acessível pode ser um grande esforço. Um esforço grande demais para ser suportado por pequenas empresas. Portanto, as microempresas não precisam estar em conformidade com o EAA em 2025.

Microempresa foi definida como: “uma empresa que emprega menos de 10 pessoas e que tem um volume de negócios anual ou um balanço anual que não excede 2 milhões de euros“.

Planeje o futuro. Daqui a alguns anos, você ainda será uma microempresa? Lembre-se de que, independentemente de seus planos, um site acessível aumenta a receita de vendas porque mais pessoas podem usar o site. A acessibilidade é sempre uma boa ideia.

Acessibilidade na web e as diretrizes WCAG

Vamos nos concentrar nos serviços, especialmente nos serviços oferecidos em um site. Esses sites precisam ser “acessíveis” Isso significa que o site precisa funcionar para o maior número possível de pessoas no maior número possível de dispositivos.

Mas como você mede a acessibilidade da web?

Um site é acessível quando está em conformidade com o WCAG, as Diretrizes de Acessibilidade de Conteúdo da Web. WCAG são um conjunto de diretrizes, cada uma com um conjunto de critérios de sucesso que um site precisa atender.

O WCAG possui 3 níveis, A é básico, AA é o padrão global e o nível AAA é para software dedicado e não realmente para sites. Para WCAG AA, existem 50 critérios de sucesso (todos do nível A mais o nível AA juntos).

Por exemplo, a Diretriz 1.2 – Mídia baseada em tempo afirma: “Forneça alternativas para mídia baseada em tempo”.

Um dos critérios de sucesso é 1.2.2 Legendas (Pré-gravadas) Nível A: “Legendas são fornecidas para todo o conteúdo de áudio pré-gravado em mídia sincronizada, exceto quando a mídia é uma alternativa de mídia para texto e é claramente rotulada como tal.”

Resumindo: se você fornecer legendas para o texto falado em um vídeo, as pessoas surdas também entenderão o conteúdo do vídeo.

No momento em que escrevo este artigo, a versão mais recente do WCAG é a 2.1. A versão 2.2 será lançada em breve. WCAG 2.1 AA é o padrão atual para acessibilidade na web.

Perguntas frequentes sobre o Ato Europeu de Acessibilidade

Todo esse incômodo, vale a pena o esforço?

Sim, realmente vale a pena o esforço. Estima-se que 20% de todas as pessoas se beneficiem da acessibilidade da web. Não apenas visitantes cegos, com baixa visão ou surdos, mas também pessoas com deficiência motora, ansiedade ou transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). Ou até mesmo visitantes que estejam cansados ou distraídos. Pessoas que podem se transformar em clientes pagantes. Ninguém é perfeito o tempo todo. Com a acessibilidade na web, você inclui todos.

Como o EAA será aplicado?

Bem, essa ainda é uma grande questão. Sua empresa será multada, receberá uma advertência ou alguma outra forma de punição? Cada membro da UE decidirá isso por si mesmo. Talvez a acessibilidade seja tratada da mesma forma que o Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR) é aplicado. Para continuar.

Minha empresa está sediada fora da UE, mas vende para países da UE. Isso conta?

Quando você vende produtos ou serviços dentro da União Europeia, seu site precisa ser acessível. E, novamente, ainda não está claro como isso será aplicado.

O EAA se aplica a sites já existentes ou somente para novos sites?

Somente se você não atualizar seu site, incluindo o conteúdo, não precisará estar em conformidade com a diretiva EAA. Mas, para um site normal, isso parece muito improvável.

Preciso cumprir o EAA. O que eu faço agora?

Siga quatro etapas:

  1. Investigue o estado atual de acessibilidade do seu site.
  2. Verifique se o seu desenvolvedor da web atual sabe como projetar e codificar para acessibilidade. Caso contrário, procure uma empresa que saiba.
  3. Dependendo do resultado da etapa 1: redesenhe/reconstrua o site.
  4. Treine sua equipe de conteúdo para criar conteúdo acessível.

Como posso encontrar uma agência da web que conheça a acessibilidade?

Faça perguntas como: qual é o nível de treinamento da equipe, quais sites acessíveis eles criaram e quais são as diretrizes que eles usam para criar e projetar um site? Você tem informações sobre acessibilidade no site da agência?

Você ainda precisa de ajuda?

Damos a você duas sugestões:

Resumo

Em junho de 2025, o European Accessibility Act (EAA) entrará em vigor nos estados-membros da União Europeia. Esta diretiva se aplica a sites de eCommerce, incluindo lojas online, que tenham pelo menos 10 funcionários e um faturamento anual ou balanço de pelo menos 2 milhões de euros.

Esses sites devem cumprir as Diretrizes de Acessibilidade para Conteúdo Web (WCAG) no nível AA, com a versão atual provavelmente sendo a versão 2.2.

As empresas localizadas fora da UE, mas que vendem produtos ou serviços em países da UE, também precisam cumprir esses requisitos de acessibilidade.

Para garantir a conformidade, as empresas devem avaliar a acessibilidade de seu site, garantir que sua equipe de web esteja informada sobre acessibilidade, potencialmente redesenhar ou reconstruir o site e treinar a equipe de conteúdo para criar conteúdo acessível.

Embora isso possa exigir um esforço extra, tornar um site acessível traz muitos benefícios, como aumento da receita de vendas e alcance de um público muito mais amplo.

Ao hospedar seu site ou aplicativo da web com a Kinsta, você tem uma infraestrutura rápida e segura, com seus projetos implantados em uma infraestrutura construída na rede de nível premium do Google Cloud Platform e nas máquinas C2.

Você pode escolher entre os 36 centros de dados e uma CDN habilitada para HTTP/3 com 260+ PoPs. Mantenha-se seguro com tecnologia de contêiner isolado, dois firewalls robustos e proteção DDoS avançada alimentada pela Cloudflare. E você pode integrar aplicativos ou automatizar fluxos de trabalho com a API da Kinsta.

Rian Rietveld

Rian is a digital accessibility specialist and web developer from the Netherlands. She works for Level Level as an accessibility consultant and is a trainer for The A11Y Collective platform. She coaches the Level Level team and their clients to create accessible projects and speaks at WordCamps and conferences worldwide.