Se você tem um site WordPress, provavelmente já contemplou em algum momento se deveria ou não implementar o Google AMP para dispositivos móveis. Enfrentamos o mesmo dilema aqui na Kinsta e acabamos testando essa solução por algum tempo. No final, não tivemos bons resultados e ele acabou interferindo negativamente em nossa taxa de conversão nos dispositivos móveis.

Por isso, hoje vamos nos aprofundar no assunto sobre como desabilitar o Google AMP em seu blog e como fazer isso de forma segura sem o erro 404 ou sem prejudicar seu SEO. Simplesmente desativar o plugin AMP poderia acabar causar danos ao seu site, portanto seja cuidadoso. A boa notícia é que ambos os métodos mencionados abaixo não exigem a presença de um desenvolvedor WordPress e podem ser feitos em poucos minutos!

Google AMP

Google AMP (Accelerated Mobile Pages Project) foi lançado originalmente em outubro de 2015. O projeto se baseia em AMP HTML, um novo framework aberto, desenvolvido inteiramente a partir de tecnologias da web já existentes e que permite que websites construam páginas leves. Para colocar de forma simples, ele oferece uma forma de exibir uma versão simples e enxuta de sua página atual. Você pode ler mais sobre o tema no nosso post sobre o Google AMP e comparar seus prós e contras.

Google AMP

Por Que o Google AMP Não Funcionou Para Nós

Devido à toda a expectativa ao redor do Google AMP, decidimos dar a ele uma chance em no site da Kinsta. Não sabíamos o que aconteceria até que o testássemos. Assim, o executamos durante dois meses e aqui estão as conclusões as quais chegamos. Observação: tudo isso pode variar de indústria para indústria, então recomendamos que você faça os testes em seu próprio site antes de tirar conclusões. Algumas formas de realizar os testes incluem:

  • Observar os dados no Google Search Console antes e depois da realização dos testes.
  • Comparar os dados do Google Analytics sobre o tráfico orgânico de suas URLs com/amp e as URLs originais antes e depois da realização dos testes.

Aqui estão alguns dados do momento em que o AMP estava habilitado em nosso site.

Posições com o Google AMP

Como você pode ver, após habilitar o Google AMP e aguardar o tempo necessário até que a página fosse indexada, observamos uma queda na média de posições do SERPs nos dispositivos móveis.

Dados de posicionamento com o Google AMP

Dados de posicionamento com o Google AMP

CTR com o Google AMP

Após habilitar o Google AMP, vimos uma queda no CTR em dispositivos móveis.

CTR com o Google AMP

CTR com o Google AMP

Impressões com o Google AMP

Após habilitar o Google AMP, observamos um número maior de impressões de página.

Impressões com o Google AMP

Impressões com o Google AMP

Google AMP Clicks

Após habilitar o Google AMP, observamos um pequeno aumento no número total de cliques.

Cliques com o Google AMP

Cliques com o Google AMP

Portanto, houveram coisas boas e ruins nos dados acima. Entretanto, a parte mais importante foi olhar para os dados no Google Analytics durante o tempo em que o AMP estava habilitado:

  • Nossos leads em dispositivos móveis caíram 09%.
  • As assinaturas em dispositivos móveis para receber nosso newsletter por e-mail caíram67%.
  • O número de contas criadas em dispositivos móveis caiu53%.

Por estes motivos, decidimos que o Google AMP não estava funcionando bem com nosso modelo de negócios. E então, por que não obtivemos bons resultados enquanto outras pessoas conseguem? Bem, é provável que um dos maiores motivos seja o fato de que nosso site já é muito rápido em dispositivos móveis. Portanto, não observamos um grande aumento de velocidade, como outros sites carregados com anúncios podem observar. De acordo com o Google, 70% das conexões de redes celulares ao redor do mundo ocorrerão em 3G ou velocidades menores até 2020. Assim, ao mesmo tempo em que é importante se adequar à mobilidade, aqueles que já possuem um site otimizado provavelmente não perceberão grandes diferenças.

Outro motivo é que não publicamos notícias. Diversas publicações de grande porte estão usando o AMP e tirando proveito do desempenho no SERPs. Muitas empresas grandes como The Washington Post, Gizmodo e Wired observaram grandes melhorias com o Google AMP, mas são todos sites com conteúdo de notícias e cheios de anúncios. Também publicamos muito conteúdo, mas nosso foco principal ainda é gerar leads e ter cadastros de usuários. Poderíamos ter feito uma otimização maior para melhorar as taxas de conversão em nossa instalação do AMP? Provavelmente sim. Existem formas de aumentar CTAs, assinaturas de newsletters, etc. Não fizemos otimizações para alguns desses fatores. Mas após observamos os dados de conversão citados anteriormente, não valia a pena administrar o Google AMP separadamente, já que isso poderia dar muito trabalho apenas para ter um site móvel um pouco mais veloz. Além disso, grande parte do nosso tráfego e de nossa audiência não é proveniente de dispositivos móveis, portanto decidimos desabilitar o Google AMP.

Adicionalmente, no momento não há benefícios SEO em usar o AMP, a menos que você tenha um site de notícias tentando pontuar no carrossel no SERPs. Analisamos nossa classificação para dispositivos móveis e, após o AMP ser completamente removido, essa pontuação acabou aumentando. Novamente, isso pode ser apenas reflexo do progresso natural. Mas não observamos melhorias no SERPs quando executamos o AMP. Se o seu site é lento, recomendamos que faça o teste.

Classificação móvel após remover o AMP

Classificação móvel após remover o AMP

Outras marcas também não viram impactos negativos em remover o AMP e assim acabamos inclusive observando melhorias. A Outside Magazine aumentou as visualizações de páginas por visita em 13% após dispensar o Google AMP.

Como Desabilitar o Google AMP

Existem algumas formas diferentes de desabilitar o Google AMP. O Google tem uma documentação oficial sobre como remover o AMP do Google Search. O grande problema é que isso geralmente requer um desenvolvedor e as instruções da empresa não são muito claras para o WordPress. O primeiro passo recomendado por eles é remover o link rel=”amphtml” da página canônica não-AMP, enquanto se mantém a página AMP. Por sorte, existem algumas abordagens diferentes que não prejudicam seu SEO. E você não quer simplesmente desabilitar o plugin Google AMP, já que isso resultaria em páginas de erro 404.

Opção 1 – Localizar e Substituir (Regex)

A primeira opção envolve usar um plugin com a função localizar e substituir para remover o código rel=”amphtml” sem indexar as páginas AMP. Agradecemos ao Gulshan Kumar, que foi a pessoa que publicou esta estratégia originalmente. Ela assume que você está utilizando o plugin AMP gratuito para WP.

Passo 1

Primeiro, você precisa fazer o download e instalar o plugin gratuito do WordPress chamado Real-Time Find and Replace. Um dos ótimos detalhes sobre esse plugin é que ele não modifica seu banco de dados ou site, então é muito seguro utilizá-lo sem precisar se preocupar em danificar qualquer coisa. Basicamente, ele localiza e substitui regras que são executadas APÓS uma página ser gerada pelo WordPress, mas ANTES de ser enviada ao navegador do usuário.

Se você é um desenvolvedor, poderia fazer uma busca e substituição normal. E geralmente recomendaríamos fazer as alterações no banco de dados pensando no longo prazo, mas nesse cenário em questão, funciona muito bem remover o código AMP enquanto as informações estão sendo reindexadas. Isso também significa que você pode fazer o procedimento facilmente e sem precisar de um desenvolvedor. Entretanto, sempre recomendamos que você faça um backup!

Plugin WordPress Real-Time Find and Replace

Plugin WordPress Real-Time Find and Replace

Atualmente, o plugin possui mais de 90 mil instalações ativas e uma classificação de 4.5 entre 5 estrelas possíveis. Você pode fazer o download no repositório do WordPress ou pesquisar por ele em seu painel no WordPress, na opção “Adicionar Novo” na seção de plugins.

Passo 2

Clique em Real-Time Find and Replace na seção de Ferramentas em seu painel do WordPress. Em seguida, clique em “Adicionar” (“Add”) e insira o seguinte código no campo “Localizar” (“Find”):

<link rel="amphtml" href="(.+)" >

Clique na caixa ao lado de “RegEx” e depois em “Atualizar Configurações” (“Update Settings”). Isso substituirá/removerá importantes tags no AMP, conforme o Google recomenda que seja feito em suas páginas e postagens canônicas não-AMP e posts.

RegEx no plugin Real-Time Find and Replace

RegEx no plugin Real-Time Find and Replace

Passo 3

A próxima etapa é marcar as páginas AMP como no-index. Clique na seção AMP em seu painel do WordPress e selecione a seção “SEO”. No campo de “Tags adicionais para o cabeçalho” (“Additional tags for Head”), insira o código a seguir e clique em “Salvar Alterações” (“Save Changes”).

<meta name="robots" content="noindex,follow"/>

Isso dirá ao Google para não indexar mais suas páginas AMP nos    resultados das pesquisas e, dessa forma, ele voltará a indexar suas URLs originais para dispositivos móveis.

Não indexar páginas do Google AMP

Não indexar páginas do Google AMP

Recomendamos deixar o plugin AMP ativado até que todas as suas páginas/posts AMP tenham sido reindexados com suas URLs originais.

Passo 4

Também recomendamos seguir os redirecionamentos 301 na opção 2 abaixo, apenas por questão de segurança!

Opção 2 – Desabilitar e Adicionar Redirecionamentos

A segunda opção é um pouco mais complicada, mas observamos que ela também funciona bem. Recomendamos essa alternativa se você teve problemas ao tentar implementar o método acima. Basicamente, se trata de desabilitar o plugin do AMP e adicionar redirecionamentos 301. Obrigado ao AMP for WP por publicar originalmente essa solução.

Passo 1

A primeira etapa é simplesmente adicionar redirecionamentos 301 para todo conteúdo que tenha uma URL do AMP. Primeiramente, você deverá fazer o download e a instalação do Redirection, um plugin gratuito do WordPress. Você poderia usar sua própria solução ou plugin de redirecionamento, mas a razão para recomendarmos essa ferramenta é que você vai precisar de uma que suporte expressões regulares. Você poderá desinstalar o plugin após todo o conteúdo ter sido reindexado.

Plugin WordPress Redirection

Plugin WordPress Redirection

Atualmente, o plugin possui mais de um milhão de instalações ativas, com uma classificação de 4 estrelas entre 5 possíveis. Você pode fazer seu download no diretório do WordPress ou pesquisar por ele em seu painel no WordPress, na opção “Adicionar Novo” na seção de plugins.

Passo 2

Clique na opção do Redirection na seção de Ferramentas do seu painel WordPress. Em seguida, adicione o código abaixo no campo de “Fonte URL” (“URL Source”) e certifique-se de marcar a caixa “Regex”:

/(.*)\/amp

Na sequência, adicione o seguinte endereço ao campo de “URL Alvo” (“Target URL”), atualizando com seu próprio domínio:

https://yourdomain.com/$1

Certifique-se de que a opção “Redirecionamentos” (“Redirections”) esteja selecionada e clique em “Adicionar Redirecionamento” (“Add Redirect”).

Expressão regular no Redirections

Expressão regular no Redirections

After adding this we recommend browsing to a couple of your AMP blog posts or pages and test to make sure they are redirecting properly. Also, if you are a Kinsta customer, you can skip installing the above plugin and simply add the global redirect from the redirects tool in your MyKinsta dashboard. Our tool supports regular expressions.

Redirecionamento do Google AMP no painel MyKinsta

Redirecionamento do Google AMP no painel MyKinsta

Outra opção, se você estiver executando o Apache, seria adicionar o seguinte código ao início do seu arquivo .htaccess:

# Redirect from AMP to non-AMP path
RewriteEngine On
RewriteCond %{REQUEST_URI} (.+)/amp(.*)$
RewriteRule ^ %1/ [R=301,L]

Passo 3

Você pode desativar e desinstalar o plugin AMP for WP.

Desativar o plugin AMPforWP

Desativar o plugin AMPforWP

Certifique-se de verificar todas as nossas dicas adicionais para monitorar o processo de reindexação.

Monitorando a Reindexação

Você pode monitorar o processo de remoção do Google AMP no Google Search Console, na opção “Aspecto da pesquisa > Páginas aceleradas para dispositivos móveis”. Como você pode observar abaixo, no momento em que implementamos a estratégia acima, nossas URLs do AMP começaram a parar de serem indexadas. Você também pode tentar enviar novamente seu arquivo de sitemap para acelerar o processo. Dependendo do número de páginas do AMP indexadas, esse processo pode levar de alguns dias a algumas semanas.

Google Search Console - Google AMP removal

Também recomendados utilizar uma ferramenta de acompanhamento de ranqueamento de palavras-chave. Por exemplo, monitoramos nossas palavras-chave para desktop e para dispositivos móveis aqui da Kinsta através do Accuranker. Isso permitiu que observássemos facilmente o histórico de cada palavra-chave e perceber que as URLs /amp estavam sendo reindexadas pelas URLs originais. Essa pode ser uma forma fácil e rápida de verificar se tudo está correndo bem.

Reindexando palavras-chave do Google AMP

Reindexando palavras-chave do Google AMP

Resumo

Todos nós adoramos sites móveis rápidos e damos os devidos créditos ao Google por tentar transformar a web num lugar melhor. Mas, conforme discutimos acima, talvez você não esteja obtendo os resultados que esperava com o Google AMP. Sempre recomendamos testá-lo, já que o desempenho pode variar de acordo com a indústria. A quantidade de tráfego móvel que seu site recebe também pode ter grande impacto sobre seus resultados.

Não somos os únicos que tiveram problemas com o AMP. A Rock Star Coders viu uma queda de 70% em sua taxa de conversão após testar o AMP em seus sites. Felizmente, existem formas fáceis de desabilitar o Google AMP se você quiser voltar às suas configurações originais. Ambas as opções apresentadas acima não requerem um desenvolvedor e garantem que seus visitantes não recebam erros 404, enquanto mantêm sua classificação SERPs.

Você tem alguma dúvida ou já teve problemas quando tentou desabilitar o Google AMP? Adoraríamos saber o que você tem a dizer na seção de comentários abaixo.

79
Shares