Microserviços e APIs estão se tornando famosos em todo lugar no espaço de desenvolvimento de software com a crescente necessidade de produzir aplicativos escaláveis, seguras e flexíveis em tempos de entrega mais rápidos.

As demandas dos clientes estão mudando rapidamente, e eles esperam soluções de software que possam facilitar sua tarefa e proporcionar-lhes conveniência.

As abordagens tradicionais com arquitetura monolítica restringem os desenvolvedores de fazer muita inovação. Devido à sua composição rígida, fazer mudanças em um aplicativo pode ser difícil.

Mas se você quer que seu aplicativo se esforce, você deve adicionar novos recursos e funcionalidades melhorados para atender às necessidades dos clientes.

Aqui é onde a arquitetura de microserviços e APIs podem ajudar.

Microserviços vs. API - qual é a diferença, e como eles funcionam? 🤔 Saiba mais aqui ✅Clique para Tweetar

Mas muitas pessoas confundem entre elas, e quando se trata de desenvolver um aplicativo de software, elas não sabem o que será adequado para elas.

Este artigo irá comparar microserviços vs API com o objetivo de colocar um fim a toda sua confusão para que você possa decidir a melhor maneira de construir e implantar seu aplicativo.

Vamos começar a comparação.

O que são Microserviços?

Microserviços são serviços menores, acoplados frouxamente, que você pode implantar independentemente. Aqui, “serviços” referem-se a diferentes funções de um aplicativo.

Assim, em uma arquitetura de microserviços, as funções de um aplicativo são divididas em muitos componentes menores que servem a propósitos específicos. Estes componentes ou serviços são de granulação fina e normalmente têm pilhas de tecnologia, métodos de gerenciamento de dados e bancos de dados separados. Eles podem se comunicar com outros serviços do aplicativo através de APIs REST, corretores de mensagens e streaming.

A arquitetura de microserviços é uma abordagem eficaz para a construção de aplicativos. Uma vez que os serviços são livremente acoplados e distribuídos, mesmo que algo aconteça em um dos serviços, isso não afetará o resto do sistema, ao contrário das abordagens tradicionais.

O acoplamento solto ajuda a reduzir as complexidades e dependências de um aplicativo. Assim, as equipes de desenvolvimento podem acelerar o processo de desenvolvimento de novos componentes de aplicativo e atender às crescentes necessidades do negócio.

Aqui, os termos “microserviços” e “microserviços” são distintos um do outro. Um microserviço representa a funcionalidade central de um aplicativo e roda independentemente. Por outro lado, o termo “microserviços” significa a arquitetura completa para a construção de um aplicativo. Ele vai além das funções principais e do acoplamento solto – ele também reestrutura seus processos de desenvolvimento e comunicação para permitir a integração de novas funcionalidades, fornecer escalabilidade e prepará-lo para falhas e problemas.

Componentes do Microserviços

Os principais componentes dos microserviços são API, lógica de negócios, camada de acesso aos dados e banco de dados. Vamos olhar para a versão expandida de diferentes componentes:

  • Clientes: Estes podem ser aplicativos, sites, ou outros serviços. A arquitetura dos microserviços inclui vários tipos de clientes para lidar com algumas tarefas, tais como realizar uma busca, configuração, construção, etc.
  • API Gateway: Este é o ponto de entrada para os clientes para que eles possam encaminhar pedidos para serviços adequados. A razão para usar um API Gateway é que os clientes não ligam diretamente para os serviços. O uso de API Gateways oferecerá muitos benefícios como manter os serviços atualizados, fornecendo balanceamento de carga, segurança e muito mais.
  • Provedores de identidade: As solicitações dos clientes são encaminhadas aos provedores de identidade para autenticar essas solicitações e comunicá-las aos serviços internos através de um API gateway.
  • Tratamento de dados: Microserviços têm bancos de dados privados para armazenar suas informações e implementar funcionalidades de negócios.
  • Envio de mensagens: Microserviços interagem entre si através de mensagens para gerenciar as solicitações dos clientes. Estas mensagens podem ser de dois tipos: síncronas, onde o servidor espera obter uma resposta em tempo real, ou assíncronas, onde o cliente não espera por nenhuma resposta antes de agir.
  • Conteúdo estático: Microserviços, após comunicarem-se entre si, implantam outro conteúdo estático em um serviço de armazenamento em nuvem para permitir a entrega direta do conteúdo aos clientes usando uma rede de entrega de conteúdo (CDN).
  • Entrega do serviço: Este é um guia de microserviços para encontrar rotas de comunicação entre os microserviços. Ele gerencia uma lista de serviços onde os nós são encontrados.

Exemplos de Microserviços

As principais organizações como Amazon, Netflix, PayPal, Twitter, etc., evoluíram da tradicional arquitetura monolítica para microserviços. Esta arquitetura tem ajudado a alcançar maior sucesso, oferecendo escalabilidade, agilidade nos negócios e altos lucros.

Vamos tomar o exemplo do Amazon. Este site de varejo teve um aplicativo monolítica nos anos 2000. Então, se seus desenvolvedores precisavam escalar ou atualizar os sistemas da Amazon, era difícil e exigia que eles gerenciassem as dependências com muito cuidado a cada vez para o aplicativo monolítica, com múltiplos componentes e camadas ligadas muito apertadas.

Assim, ele restringiu a flexibilidade e aumentou a complexidade à medida que aplicativo cresceu com sua base de código maior. Isto criou uma sobrecarga para as equipes de desenvolvimento e desacelerou seu processo de desenvolvimento. Assim, eles encontraram problemas para atender à demanda de escala e às expectativas dos clientes.

Então, eles adotaram a arquitetura de microserviços. Primeiro, eles analisaram todo seu código fonte cuidadosamente e depois extraíram unidades de código servindo uma única funcionalidade. Em seguida, eles envolveram essas unidades de código em uma interface de serviço baseada na web. Por exemplo, eles construíram um serviço de pagamento separado, outro componente único para a opção “comprar”.

Além disso, o Amazon também atribuiu a propriedade de um serviço aos desenvolvedores para ver de perto os problemas e resolvê-los.

Tipos de Microserviços

Os microserviços podem ser categorizados em dois tipos amplos – microserviços stateless e stateful.

  • Microserviços sem Estado: Estes são os blocos de construção de sistemas distribuídos. Eles não mantêm ou armazenam nenhum estado de sessão entre duas solicitações, daí o nome “stateless” micro-services. Além disso, mesmo que uma instância de serviço seja removida, a lógica geral de processamento do serviço não é afetada. Esta é a razão pela qual os sistemas distribuídos aproveitam os microserviços “stateless”.
  • Microserviços estáticos: Os microserviços estáticos mantêm ou armazenam estados ou dados de sessão em código. Microserviços que se comunicam entre si sempre mantêm solicitações de serviço.

Os microserviços sem Estado são usados mais amplamente, mas você pode usar o estado para múltiplos cenários.

Por exemplo, suponha que um cliente faz um pedido. Aqui “pedido” representa um microserviço. Então, o serviço de pedido começa a verificar o status do produto usando outro serviço – inventário. Quando cada pedido é independente de pedidos futuros ou anteriores, isto significa que o sistema segue uma arquitetura sem estado.

Quando você tenta buscar as informações do produto através de uma chamada, você obterá o mesmo resultado independentemente das solicitações ou contexto anteriores. E mesmo se um pedido falhar, ele não colocará em risco o processamento geral do negócio. Outro microserviço estará pronto para manter o processo funcionando.

Os microserviços são RESTful?

Bem, não necessariamente. Vamos rever brevemente as diferenças:

  • Microserviços: Este é um conjunto de funções e serviços que atuam como blocos de construção de um aplicativo.
  • APIs RESTful: Estas representam os protocolos, comandos e regras para integrar todos os microserviços em uma única aplicativo.

Microserviços é sobre o estilo de design e arquitetura de um aplicativo, e você pode construir microserviços com ou sem o uso de uma API RESTful. Dito isto, usar RESTful tornará muito mais fácil desenvolver microserviços acoplados frouxamente.

O RESTful API surgiu antes dos microserviços. Ela assume que todos os objetos têm interfaces uniformes e são completamente agnósticos de linguagem e acoplados frouxamente. Aqui, a semântica e as interfaces permanecem as mesmas, e a implementação de API pode mudar facilmente a qualquer momento sem afetar os consumidores. Portanto, RESTful e os Microserviços podem resolver problemas diferentes; eles ainda podem trabalhar juntos.

O que é uma API?

A Application Programming Interface (API) é um software intermediário entre dois aplicativos interagindo uma com a outra. Ela conecta dois computadores ou programas de computador através de uma interface.

Não confunda esta interface com a interface do usuário, que conecta uma pessoa a um computador ou programa de computador. A API conecta peças de software e computadores entre si e não é para ser usada diretamente pelo usuário final, exceto pelo programador que deseja integrá-la a uma solução de software.

As APIs simplificam a programação e podem realmente esconder os detalhes internos de um sistema, como por exemplo como ele funciona, e expor peças úteis para um programador enquanto mantém as peças consistentes apesar das mudanças internas. Você pode encontrar uma variedade de APIs hoje em dia para vários propósitos, tais como sistemas operacionais, bibliotecas de software, linguagens de programação, hardware de computador, etc.

Além disso, construir uma API requer que você siga um padrão ou documento chamado especificação da API que lhe diz como usar ou construir uma API.

As APIs consistem de muitas partes diferentes atuando como uma coleção de serviços ou ferramentas para o uso do programador. O programador ou programa que usa estas partes deve fazer uma “chamada” ou solicitação primeiro. Estas chamadas são referidas como solicitações, métodos, pontos finais ou sub-rotinas. Você pode fazer quatro tipos de requisições com API – GET, PUT, DELETE, POST.

Componentes de uma API

As APIs incluem especificações técnicas que explicam a troca de dados entre serviços através de solicitações de processamento e entrega de dados. Elas também possuem uma interface de software para permitir que os aplicativos troquem informações. As APIs também têm:

  • Protocolos: São um conjunto de regras para definir a forma como os aplicativos interagem entre si, como HTTP, SOAP, XML-RPC, REST, etc.
  • Formato: Este é o estilo para a troca de dados entre aplicativos. Ele define como a API irá recuperar os dados e fornecê-los aos consumidores. A API pode fazer solicitações através de um protocolo e recuperar informações em um determinado formato, como XML ou resposta JSON.
  • Procedimentos: São tarefas ou funções específicas que um aplicativo executa.
  • Ferramentas: Elas são usadas para construir APIs. Você pode encontrar muitas ferramentas disponíveis para construir, testar e gerenciar suas APIs, tais como AWS, IBM Cloud, SoapUI, JMeter, etc.

Tipos de APIs

As APIs são de diferentes tipos baseados em diferentes parâmetros. Com base na política de lançamento, as APIs são categorizadas em três tipos – públicas, privadas e partners.

APIs públicas

Eles estão disponíveis para uso por qualquer usuário ou desenvolvedor de terceiros e permitem que você aumente o conhecimento da sua marca e renda com a execução adequada. Eles são de dois tipos – abertos e comerciais.

  • APIs abertas: As funcionalidades são públicas e as pessoas podem usá-las livremente sem qualquer restrição ou aprovação da editora. Sua documentação e descrição também deve estar disponível para uso público para criar novos aplicativos.
  • APIs comerciais estão disponíveis para uso público, mas você pode ter que pagar certas taxas para usar a API. Muitos editores oferecem um teste gratuito das APIs por um período limitado antes que as pessoas paguem uma taxa de assinatura.

APIs privadas

As APIs públicas são projetadas para melhorar os serviços e soluções dentro de uma empresa. Seus desenvolvedores podem usá-las para integrar aplicativos e sistemas de TI e construir aplicativos e sistemas usando os sistemas existentes.

Embora os aplicativos estejam disponíveis para uso público, a interface do aplicativo está disponível apenas para pessoas que trabalham com o proprietário da API. Isto permite que os editores ou proprietários da API controlem o uso da API e salvaguardem sua integridade.

APIs partner

APIs partner podem ser promovidas abertamente, mas são compartilhadas somente com os parceiros comerciais da editora que assinaram um acordo mútuo. APIs partner são comumente usadas para integração de software.

Uma empresa pode conceder a seus parceiros acesso a certas capacidades ou dados enquanto monitora aspectos chave. Ela monitorará continuamente como os ativos compartilhados são usados, gerenciará a identidade corporativa através dos aplicativos e assegurará que os terceiros que utilizam suas APIs ofereçam uma boa experiência ao usuário.

Com base em casos de uso, as APIs são de diferentes tipos:

APIs Web

As APIs Web são um tipo comum de API que fornece funcionalidade legível por máquina e transferência de dados entre dois ou mais serviços ou sistemas baseados na Web que representam uma arquitetura cliente-servidor. Elas são usadas principalmente para fornecer respostas do servidor e solicitações de aplicativos web usando o Protocolo de Transferência HyperText (HTTP).

APIs Web ajudam a estender a funcionalidade de um aplicativo ou site. Por exemplo, você pode usar o Google Map API para adicionar um mapa com a localização da sua organização ao seu site.

APIs de Sistema Operacional

APIs de sistemas operacionais (SO) definem como um aplicativo pode usar os serviços e recursos de um sistema operacional. Cada sistema operacional compreende diferentes APIs, tais como a API do Windows.

APIs de banco de dados

As APIs de banco de dados são usadas para interagir com um aplicativo com um sistema de gerenciamento de banco de dados (SGBD). Seus desenvolvedores podem aproveitar bancos de dados, escrever consultas para acesso aos dados, alterar tabelas e realizar outras ações.

APIs remotas

APIs remotas são padrões de comunicação para aplicativos que rodam em múltiplas máquinas. É chamada de “remota” porque uma solução de software pode acessar recursos externos a partir de um dispositivo que faz uma solicitação.

Neste arranjo, dois aplicativos remotas se comunicam uma com a outra através de uma rede (internet). Portanto, um grande número de APIs remotas são desenvolvidas seguindo um padrão web. Exemplos de APIs remotas podem ser Java Remote Method Invocation API.

As APIs também podem ser de mais tipos:

  • APIs REST: As APIs REST ou RESTful APIs são projetadas para fazer solicitações e receber respostas HTTP. Ela é baseada em vários comandos HTTP – GET, POST, PUT, e DELETE.
  • APIs RPC: As APIs de Chamada de Procedimento Remoto (RPC) são APIs antecipadas projetadas para executar um bloco de código em servidores diferentes. Ela se transforma em Web API quando você a usa através de HTTP.
  • APIs SOAP: Simple Object Access Control Protocol (SOAP) refere-se a um protocolo padrão que depende de programação e sistemas baseados em XML e tem dados maiores e mais caros. Eles oferecem um alto nível de segurança e são amplamente utilizados em aplicativos baseados em finanças.

Exemplos de APIs

As APIs estão em todos os lugares. Elas são usadas em serviços, soluções de software, sites e muitas outras avenidas. Vamos olhar para algumas das populares APIs como exemplos. O objetivo delas pode ser o mesmo, mas elas podem usar especificações e protocolos diferentes.

  • APIs de eCommerce: As APIs de eCommerce são de diferentes tipos. Elas podem ajudar a exibir produtos em um site de compras, enviar produtos, gerenciar pedidos e pagamentos, converter moedas, e assim por diante. Exemplos:
    • As APIs de dados de produtos ajudam a coletar informações de produtos de seu site para seus visitantes.
    • As APIs de pagamento coletam pagamentos eletrônicos do seu site ou aplicativo agindo como um intermediário entre o processador de pagamento e o seu site.
    • APIs de envio podem calcular as taxas de envio com base na distância para seus usuários.
  • WeatherAPI: WeatherAPI é um excelente exemplo de API, que serve como uma solução gratuita de informação meteorológica e geolocalização. As APIs meteorológicas servem a vários propósitos, tais como pesquisas de TI, previsões meteorológicas, astronomia, fuso horário, esportes, etc.
  • API de Yelp: Esta é uma API baseada em GraphQL para coletar opiniões e recomendações de clientes usadas por restaurantes, lojas, hotéis e outros estabelecimentos para entender como os clientes percebem um negócio. Ela também ajuda os clientes a ler resenhas públicas e decidir se devem ou não considerar o negócio para seu uso subsequente.

Outros exemplos incluem compras online, jogos online, navegar nas mídias sociais, usar um aplicativo bancário, detectar informações de um site e muitas outras coisas que você faz com a internet.

Microserviços vs API: Como eles funcionam?

Depois de termos discutido os microserviços vs API em termos do que eles realmente são, vamos comparar como eles realmente funcionam.

Como os Microserviços funcionam?

Para entender como os microserviços funcionam, vamos voltar ao passado.

O desenvolvimento de software tradicional, que ainda continua em muitas organizações, utiliza uma arquitetura monolítica. Um “monólito” se refere a uma única e grande aplicativo que contém todas as suas funcionalidades e características e armazena tudo em um único lugar.

Isto significa que todos os componentes de um aplicativo, incluindo a lógica comercial, acesso aos dados e IU, são armazenados no mesmo local.

O desenvolvimento deste software é, de fato, fácil e vem naturalmente. É por isso que muitos ainda optam por ele. Entretanto, ele fica complicado se você quiser adicionar mais funcionalidade ao seu aplicativo a fim de torná-la atraente ou aumentar seu propósito, usabilidade, segurança, etc. Adicionar mais funcionalidades à base de código existente pode aumentar a complexidade e o tamanho do monólito, o que convida a várias questões, como por exemplo:

  • A mudança pode afetar o aplicativo geral, mesmo se você quiser fazer uma pequena mudança. Você pode exigir a redistribuição do aplicativo completa, que é arriscada e consome tempo e recursos.
  • Devido à sua estrutura rigidamente acoplada, os monólitos não são flexíveis. Portanto, ele também restringe a pilha de tecnologia, especialmente quando o aplicativo é escalonado. Você pode encontrar dificuldade em mudar sua pilha de tecnologia e pode ser forçado a usar as tecnologias antigas com tantos problemas subjacentes.
  • É arriscado porque se alguma vulnerabilidade for deixada despida e a parte for comprometida, o ataque pode se espalhar pelo aplicativo, comprometendo todo o aplicativo e seus dados.

Portanto, quebrar as funções de um aplicativo em diferentes partes parece ser uma excelente abordagem para abordar todas essas questões, que é exatamente o que os microserviços fazem. Vamos entender como a arquitetura dos microserviços é colocada em movimento.

Em uma arquitetura de microserviços, os aplicativos são estruturados em serviços reutilizáveis e discretos, comunicando-se através de uma API. Cada serviço é organizado em torno de um processo de negócios particular e adere a um protocolo de comunicação como o HTTP. Estes serviços menores são então integrados separadamente com suas dependências e outros dados no aplicativo.

Portanto, se você quiser fazer algumas mudanças em uma funcionalidade, você pode fazer isso sem afetar as outras partes do aplicativo com facilidade.

Essas capacidades tornam os microserviços desejáveis para abordagens modernas de desenvolvimento de software como o DevOps. Embora a arquitetura de microserviços não seja inteiramente um conceito novo, uma vez que ela evoluiu de abordagens tradicionais e da Arquitetura Orientada a Serviços (SOA), ela está agora difundida devido aos recentes avanços tecnológicos, como a contenção.

Usando containers Linux, você pode facilmente executar várias partes do aplicativo separadamente em um único hardware com controles maiores.

Como as APIs funcionam?

A interface de programação do aplicativo (API) fornece respostas dos usuários aos sistemas e envia as respostas de volta aos usuários.

Esta é a versão mais simples de colocar como uma API funciona, mas muita coisa acontece em segundo plano. Uma API permite que um desenvolvedor faça uma solicitação ou uma chamada para transferir informações. Esta interação acontece através da programação JSON. Ela também executa muitas ações como adicionar e remover dados, coletar informações e atualizar detalhes. Ela é feita através de quatro comandos:

  • GET: Coleta informações
  • PUT: Atualiza dados
  • DELETE: Apaga algo (como informações do produto)
  • POST: Cria algo (como um novo artigo no blog)

Sem APIs, muitas das coisas divertidas que você faz online não seriam possíveis, como jogar jogos de vídeo online, encomendar produtos de lojas virtuais, encontrar o perfil no Facebook de um amigo há muito perdido, e assim por diante.

A API funciona como uma interface intermediária para permitir que dois aplicativos interajam uma com a outra e atendam ao seu pedido.

Por exemplo, quando você quer pedir acessórios de bicicleta da Amazon, você visita o aplicativo e coloca o item em seu carrinho. Em seguida, a interface o levará para o endereço de entrega e página de pagamentos para que você entre.

É aqui que ocorre a comunicação entre os aplicativos, graças à API. Por exemplo, se você escolheu o Google Pay como seu processador de pagamento, o aplicativo enviará suas credenciais bancárias para outro aplicativo para verificação. Uma vez verificada e confirmada, a segunda aplicativo irá notificar o Google Pay para completar esta transação.

Lutando com tempo de inatividade e problemas no WordPress? Kinsta é a solução de hospedagem projetada para economizar seu tempo! Confira nossos recursos

Uma vez que você tenha inserido seu PIN e procedido com a transação, o Google Pay facilitará a troca de dados e completará o pagamento. Naquele momento, seu pedido será feito.

Ao permitir que os produtos e serviços de software se comuniquem entre si, as APIs simplificam o desenvolvimento de aplicativos, o dinheiro e o tempo. APIs dariam a você a flexibilidade e o controle do projeto para inovar.

Microserviços vs API: Benefícios de cada um deles

Vamos comparar microserviços vs API sobre como eles são benéficos para desenvolvedores, usuários finais e empresas.

Benefícios da utilização de Microserviços

Dividir as funções de um aplicativo em serviços menores ou microserviços tem muitas vantagens. Vejamos um por um.

  • Modularidade: Significa dividir os serviços em diferentes módulos com seu próprio conjunto de funcionalidades e dependências para tornar-se um aplicativo fácil de desenvolver, testar e entender. Isto reduz as complexidades e dificuldades que as empresas enfrentam com a abordagem monolítica de desenvolvimento de software.
  • Desenvolvimento distribuído: A arquitetura de microserviços agiliza o processo de desenvolvimento, já que equipes menores podem ter a responsabilidade de desenvolver, testar, implantar e expandir serviços separadamente e em paralelo.
  • Escalabilidade: Nos microserviços, uma abordagem acoplada frouxamente é implementada, separando a lógica de negócios, a camada de acesso aos dados e o banco de dados. Em contraste, os microserviços podem ser desenvolvidos e implantados independentemente para executar suas tarefas e podem ser escalados facilmente. Devido à escala precisa, você pode escalar apenas aqueles componentes que você deseja.
  • Implantação independente: Como os serviços são pequenos e podem ser implantados de forma independente, qualquer mudança que você fizer não afetará todo o aplicativo. Então, quando você quiser atualizar um recurso, você pode pegar um microserviço para começar a trabalhar diretamente nele e implementá-lo sem reimplantar o aplicativo completo.
  • Integração sem emendas: Com os microserviços, você pode realmente modernizar o seu aplicativo monolítico atual. Isto pode ser feito usando a integração de sistemas legados e heterogêneos. Microserviços também são fáceis de integrar com muitas tecnologias e ferramentas para ajudar a melhorar as características, funcionalidade e segurança do seu aplicativo.
  • Flexibilidade: Microserviços oferece a você uma melhor flexibilidade. Você está livre para usar qualquer pilha de tecnologia com linguagens de programação, bibliotecas, frameworks e outras ferramentas se for suportado por diferentes componentes ou serviços. Assim, você pode construir os serviços mais recentes e mais avançados para complementar seu aplicativo com as últimas características e recursos de segurança.
  • Segurança: A arquitetura Microserviços ajuda a aumentar a segurança do seu aplicativo. Eles são feitos para lidar com compromissos e falhas. Como vários tipos de serviços se comunicam dentro desta arquitetura, um serviço pode falhar devido a problemas no servidor, cyberattacks, etc. Mesmo se um dos serviços falhar, ele não derrubará a aplicativo inteira; as outras partes ainda terão o desempenho esperado.
  • Roteamento simples: Microserviços seguem uma abordagem simples de roteamento para receber solicitações e transmitir respostas de acordo. Microserviços são desenvolvidos com endpoints inteligentes ou clientes que podem processar informações e aplicar lógica de negócios de acordo com os requisitos. Entretanto, outras estratégias como os Enterprise Service Buses (ESBs) não fazem isso. Eles utilizam sistemas de alta tecnologia para aplicar políticas de negócios e roteamento de mensagens.
  • Aumento da produtividade: Em uma metodologia de desenvolvimento distribuído onde as responsabilidades são divididas, ela ajuda a aumentar a produtividade organizacional. Uma grande tarefa pode ser dividida em tarefas menores que parecem facilmente realizáveis com precisão.
  • Manutenção e Depuração mais fáceis: Criar serviços menores é mais fácil para os desenvolvedores codificarem e depurarem. Eles podem analisar os serviços em geral rapidamente para detectar erros e problemas em contraste com a cena quando eles tiveram que analisar um aplicativo massiva com todas as suas dependências e características.
  • Tempo mais rápido para o mercado: Como resultado de um desenvolvimento de código, teste, depuração e implantação mais rápidos enquanto garante a qualidade, seu tempo de colocação no mercado será mais rápido. Você pode obter feedback antecipado e melhorar seu aplicativo mais rapidamente ao invés de implantar tudo de uma só vez. Isto o ajudará a produzir aplicativos de qualidade que os clientes adoram usar.

Embora os microserviços pareçam ser uma abordagem eficiente que pode lhe oferecer muitos benefícios (o que ele faz), há alguns desafios também.

  • A mudança de uma arquitetura monolítica tradicional para microserviços pode ser complexa, com muitos serviços, equipes e implantações.
  • Novas versões de software podem apresentar problemas de compatibilidade com versões anteriores
  • As redes irão ter mais problemas de conectividade e latência
  • Os dados de registro podem ser um fardo

No entanto, o DevOps pode resolver muitos desses problemas; ele pode ter seus próprios desafios. O cálculo dos riscos e benefícios ainda pesa muito mais do que os riscos.

Benefícios do uso de APIs

As APIs se tornaram cruciais no mundo moderno dos negócios, com pessoas alavancando a internet e os serviços como nunca antes. Aqui estão alguns dos benefícios das APIs:

  • Velocidade: As APIs oferecem uma velocidade incrível para várias tarefas tanto para as empresas quanto para os usuários. Elas ajudam a acelerar as operações para oferecer agilidade para as empresas e reduzir os incômodos para os clientes. Por exemplo, se você quiser encomendar algo online, você pode ir diretamente ao seu aplicativo e verificar se o item está disponível ou não.
  • Escalabilidade: Se você é um negócio em crescimento, a primeira coisa que você deve assegurar é se a sua pilha de tecnologia é escalável ou não. Ela lhe oferecerá a oportunidade de fazer seu negócio crescer com o tempo. Usar uma API lhe dará uma tremenda flexibilidade e escalabilidade para expandir seus produtos, aumentar o número de catálogos, gerenciar dados cada vez maiores e lidar com riscos crescentes de segurança.
  • Segurança: O uso de APIs é uma ótima maneira de aumentar a segurança do seu aplicativo. A razão é que quando você faz uma chamada de API, você não está diretamente conectado a um servidor web. Ao invés disso, você está enviando uma pequena quantidade de dados que a API entrega para o servidor e recebe respostas do servidor. Portanto, seu aplicativo permanece a salvo de atacantes.
  • Aumenta a produtividade: O uso de APIs permitirá que os desenvolvedores implementem mais funcionalidades rapidamente. Ao invés de fazer isso do zero. Isso economizará muito tempo e esforço para o negócio e para os desenvolvedores que podem dedicar tempo à inovação.
  • Reduz o custo de TI: Construir um aplicativo, seja ela pequena ou grande, envolve um investimento significativo. Você precisará de tecnologias, ferramentas e pessoas junto com outros recursos para apoiar o seu processo de desenvolvimento. Mas você pode evitar todos eles uma vez, usando uma API adequada para construir seu aplicativo ou melhorar sua funcionalidade sem gastar uma fortuna.
  • Promove a Colaboração: Manter uma conectividade e comunicação suave e segura se tornou um problema para as organizações devido ao aumento dos riscos de segurança. Mas o uso de APIs privadas pode ajudar a aumentar a comunicação e a colaboração em sua equipe ou organização.
  • Impulsiona a Inovação: A forte competição entre as verticais da indústria tornou a inovação crucial para as empresas. Além disso, as demandas dos clientes estão mudando, mas as empresas devem se esforçar para atender a essas demandas.
  • Melhor experiência do cliente: As APIs são benéficas também para os usuários finais. Elas ajudam os clientes a interagir com as empresas sem problemas e os fazem entender seus desafios, preferências e interesses. Por sua vez, as empresas podem levar esses inputs para trabalhar neles e melhorar seus produtos e serviços, ao mesmo tempo em que apresentam soluções inovadoras para atender às suas demandas.

Com as APIs, as empresas também podem personalizar as experiências dos clientes, o que é um fator chave para determinar o seu sucesso. Por exemplo, você pode usar APIs baseadas em inteligência artificial (IA) para analisar a jornada de compra de seus clientes, desde quando eles visitaram seu site até quando finalmente compraram de você. Isto o ajudará a mapear as dificuldades deles e resolvê-las e adicionar novas funcionalidades como mais opções de pagamento para tornar a compra mais fácil para eles.

Assim como os microserviços, os APIs também vêm com certos desafios, apesar de oferecerem benefícios fantásticos, como por exemplo:

  • Nem todas as APIs são seguras, o que é a principal preocupação das organizações enquanto utilizam as APIs. Isso pode tornar seu aplicativo vulnerável a cibe ataques. Portanto, se você quiser usar uma API, escolha-a cuidadosamente, tendo em mente seus aspectos de segurança e conformidade.
  • APIs podem fazer a performance de seu aplicativo depender da performance deles. Portanto, se a API tiver alguns problemas, ela afetará a performance de seu aplicativo, mesmo que seu aplicativo não tenha nenhum problema em si mesma. Isto implica que se a API for comprometida por um atacante, seus dados também podem ser.
  • As APIs são tão boas que as organizações podem acabar usando muitas delas, mesmo em centenas. Agora, o problema é que quando múltiplas APIs rodam com seus serviços, dependências e pontos finais, pode se tornar difícil para a organização lidar com elas. Você pode se sentir sobrecarregado para controlar o uso das APIs em sua organização, monitorar dados e proteger sua segurança.

Microserviços vs API: Para que eles são usados?

A seguir comparamos os microserviços vs APIs com base em quais são seus usos.

Uso dos Microserviços

Alguns dos muitos casos de uso de microserviços são:

  • Aplicativos modernizado legacy: As empresas modernas devem adotar tecnologias ágeis e se afastar dos sistemas legados para atender às últimas exigências e estar prontas para o futuro. Para construir uma infraestrutura de TI robusta e avançada, você precisa refatorar sua infraestrutura atual com microserviços. Isso permitirá que você implante aplicativos e soluções de software em pilha completa que podem ser escalonadas com base nas demandas.
  • Aplicativos que oferecem serviços de terceiros: Aplicativos que oferecem soluções e serviços de terceiros tais como plugins, ferramentas analíticas, soluções de monitoramento, ferramentas de segurança, aplicativos de transferência de dados, etc., requerem recursos computacionais pesados como CPU e RAM. Eles precisam destes recursos para suas operações, pois envolvem lógica complexa e são mais extensos. Eles também precisam de tempo de atividade para continuar a servir os usuários.
  • DevOps: O modelo DevOps usa microserviços como um de seus principais componentes. Estas duas tecnologias realmente se complementam muito e trabalham sem falhas para fornecer muitos benefícios para as empresas. O DevOps visa acelerar o ciclo de vida do desenvolvimento de software enquanto garante a qualidade, e os microserviços ajudam as equipes de desenvolvimento a fazer exatamente isso.
  • Big Data: Big Data precisa de uma coleta, processamento e entrega cuidadosa através de uma arquitetura clara baseada em pipelines. Os Microserviços podem ajudar nisso, já que eles podem lidar facilmente com cada tarefa menor em cada passo dentro de seu pipeline de dados.
  • IA e ML: Ecossistemas analíticos avançados, como aprendizagem de máquinas, inteligência artificial, energia e manufatura, requerem capacidades computacionais de alto desempenho para avaliar seus modelos em relação a novos modelos para permitir uma troca suave. Os microserviços podem permitir que você avalie seus modelos com precisão usando métodos de teste como o teste A/B.

Além do acima mencionado, os microserviços são usados em aplicativos utilizadas em canais como serviços de login, soluções de notificação, serviços de reserva de viagens e hotéis, e muito mais. Grandes players como Airbnb, Amazon, eBay, Coca-Cola, Twitter e Netflix são alguns dos principais adotadores de microserviços.

Usos de APIs

As APIs são usadas em todos os lugares, desde TI e software até finanças, saúde, educação, varejo, clima, mídia social, viagens e hospitalidade, automotivo, entretenimento, e muito mais. Elas permitem que você faça conexões de ponta a ponta para visualizar e trocar dados através de diferentes canais.

Vamos descobrir mais sobre como diferentes indústrias utilizam as APIs:

  • Aplicativos Web: Aplicativos Web alavancam APIs para conectar dados backend, sistemas e funcionalidades com frontends voltados para o usuário. As empresas podem economizar muito tempo de desenvolvimento e gastos usando APIs adequadas que podem servir um propósito específico ao invés de criar uma solução de software a partir do zero. Eles também podem integrar os diferentes aplicativos para aumentar sua produtividade e eficiência operacional.
  • Entretenimento: Serviços de streaming como Netflix e Spotify usam APIs para distribuição de conteúdo. Por exemplo, Netflix fornece uma API unificada – Netflix API lançada em 2008 para enfatizar a construção de aplicativos surpreendentes por sua comunidade de desenvolvedores para melhorar as experiências dos clientes.
  • Finanças: Instituições financeiras (como bancos) utilizam APIs para gerenciar e rastrear contas, cartões de débito e crédito, transações e muito mais. A abordagem baseada em API para conexão permite às instituições financeiras integrar diferentes aplicativos e fornecer uma experiência robusta e responsiva tanto para seus parceiros quanto para seus clientes.
  • Varejo: Usando APIs, os varejistas podem oferecer uma melhor experiência ao cliente, permitindo que eles se envolvam mais com produtos e marcas. As APIs fornecem a eles uma plataforma para conectar diferentes pontos de extremidade e fornecer um serviço de melhor qualidade com controle. Eles podem fazer chamadas de inventário em tempo real usando APIs para transações de ponta a ponta e quiosques especiais.
  • Cuidados com a saúde: As instituições de saúde podem usar as APIs para oferecer um melhor atendimento ao paciente, tornando os dados facilmente acessíveis em toda a organização, mantendo todos, desde funcionários até médicos, no circuito para que eles possam entender as necessidades do paciente adequadamente e diagnosticar ou recomendar o atendimento adequado.
  • Automotivo: Empresas automotivas, tais como a Tesla, usam APIs para enviar atualizações de software, software de patch para segurança e eficiência e desbloquear informações de atendimento para terceiros. Desta forma, elas não só podem melhorar as experiências dos clientes, mas também garantir que seus softwares funcionem com o melhor desempenho possível.
  • Viagens e Hospitalidade: Sites e aplicativos de reserva de viagens e hotéis usam APIs para coletar milhares de destinos, hotéis em diferentes cidades, voos, trens, disponibilidade de passagens de ônibus, etc. Eles também fazem isso para confirmar as reservas. O uso de APIs facilita o processo para as empresas mostrarem os dados e confirmarem as reservas, ao invés de fazer rodadas com hotéis e companhias aéreas através de ligações telefônicas ou e-mails que podem levar uma eternidade para obter uma resposta.
  • Fotos do Tempo: Usando APIs, as empresas podem obter dados meteorológicos de festas de espinhos e mostrar os resultados, tais como o aplicativo Meteorológico da Apple, Google Search, etc.
  • eCommerce: Sites de eCommerce usam muitas APIs para rastrear remessas, gerenciar inventário, processar pagamentos (como API do PayPal), mídia social, e assim por diante.

Microserviços vs API: Semelhanças e diferenças

Agora que você sabe o que são microserviços vs API, cada um independentemente com seus componentes, usos e benefícios, é hora de trazê-los frente a frente.

Semelhanças

Primeiro, vamos olhar para as semelhanças entre microserviços e APIs:

  • Tanto microserviços quanto APIs são usados no desenvolvimento de software com o objetivo de acelerar o desenvolvimento, testes e implantação, mantendo a qualidade.
  • Eles suportam aplicativos baseados na nuvem.
  • Ambas as tecnologias oferecem escalabilidade para suportar seus aplicativos quando elas crescerem mais e mais funcionalidades serão adicionadas a elas.
  • Microserviços e APIs oferecem ambos agilidade no desenvolvimento de módulos e funções de aplicativos.
  • Ambos podem ajudar a reduzir despesas no desenvolvimento de software, reduzindo complexidades, as chances de erros e riscos.
  • Devido à sua natureza distribuída, tanto os Microserviços quanto os APIs oferecem segurança. Mesmo que um serviço seja comprometido, ele não afetará outros serviços. Portanto, ele contribui para a segurança dos dados e de outros ativos organizacionais. Isto também ajuda a cumprir os requisitos de auditoria e conformidade.

Diferenças

Microserviços são os blocos de construção de um aplicativo, mas API é um fio que liga cada componente de um aplicativo baseada em microserviços. Vamos comparar microserviços vs API em bases diferentes.

  • A arquitetura dos Microserviços é um modelo de desenvolvimento de software que divide um aplicativo em componentes ou serviços menores. Por outro lado, uma API é uma interface ou um intermediário entre dois aplicativos que se comunicam uma com a outra. Ela consiste de funções e procedimentos para ajudar os consumidores a usar os serviços subjacentes de um aplicativo.
  • Os componentes dos microserviços podem ser considerados como “blocos de construção” de um aplicativo. Você pode considerar APIs como um “bloco funcional” responsável por realizar uma determinada tarefa, como o processamento de pagamentos através de APIs do PayPal.
  • Microserviços são uma arquitetura completa com múltiplos e menores serviços, enquanto um API é um componente de microserviços que ajuda a melhorar a eficácia da arquitetura de microserviços.
  • Os componentes de uma arquitetura de microserviços são lógica de negócios, APIs, uma camada de acesso a dados e um banco de dados. Por outro lado, os componentes de uma API são um protocolo, formato, procedimentos ou funções, e ferramentas.
  • Os microserviços são de dois tipos: os microserviços sem estado e os microserviços com estado. Entretanto, as APIs podem ser públicas, privadas, APIs partner , APIs de banco de dados, APIs REST, APIs remotas, APIs SOAP, e muito mais.

Microserviços e API podem trabalhar juntos? Como?

Bem, a resposta é “Sim!”

Microserviços e API podem trabalhar juntos em um aplicativo. Embora eles possam existir separadamente, usar ambos juntos em seu aplicativo pode ajudar as organizações a implementar efetivamente a arquitetura de microserviços.

Muitas empresas enfrentam dificuldades para implantar a arquitetura de microserviços quando já possuem outras arquiteturas implantadas. Além disso, integrar múltiplos e menores serviços e se beneficiar deles é problemático.

Portanto, implementar uma estratégia de integração usando APIs é essencial para tirar o máximo proveito da arquitetura de microserviços.

Usando APIs, as empresas podem alcançar toda a flexibilidade e velocidade que o microservice oferece, além de reduzir a complexidade no desenvolvimento e implementação de software.

API pode fazer com que seja fácil construir e gerenciar seus microserviços enquanto permite que este novo modelo coexista com sistemas tradicionais ou legados. Desta forma, você não tem que descartar todos os seus sistemas legados uma única vez, o que pode colocar um estresse significativo nas organizações. Além disso, você pode expor suas funcionalidades de microserviços como produtos, o que ajuda a aumentar o valor do negócio tanto externa quanto internamente.

Além disso, APIs podem ajudar a reduzir os custos de TI para fazer uma integração ponto a ponto entre seus aplicativos SaaS e sistemas legados. Desta forma, você pode rapidamente adicionar ou remover microserviços com base nas suas necessidades de negócios. Eles também padronizam o gerenciamento de tráfego, monitoramento, auditoria, registro, segurança, etc., em toda a organização.

Assim, a combinação de microserviços com API permite que você alcance toda a bondade dos microserviços e limite seus inconvenientes.

Se você quer que seu aplicativo se evolua, você tem que adicionar características e funcionalidades melhoradas para atender às necessidades dos clientes. 👀 Enter, APIs e arquitetura de microserviços. 🚀Clique para Tweetar

Resumo

Microserviços e APIs são usados no desenvolvimento de software, e ambos oferecem à organização muitos benefícios como escalabilidade, flexibilidade, agilidade e segurança enquanto produzem software com alta qualidade.

No entanto, muitos confundem entre os dois porque os serviços em uma arquitetura de microserviços utilizam APIs para comunicação. E, portanto, esta batalha de microserviços vs APIs começou.

A arquitetura Microserviços é um modelo de desenvolvimento de software onde as funções de um aplicativo são divididas em funções menores, cada uma com suas próprias dependências e dados. Por outro lado, as APIs são intermediários que permitem a comunicação entre dois aplicativos.

De fato, o uso de microserviços e APIs juntos ao invés de compará-los pode trazer muito mais benefícios para a sua organização. Ele pode realmente aumentar a eficácia do seu modelo de microserviço enquanto aumenta a escalabilidade do seu aplicativo, a segurança, as necessidades de conformidade e a redução de custos.

Quais microserviços ou APIs você tem utilizado ultimamente? Informe-nos na seção de comentários!


Obtenha todos os seus aplicativos, banco de dados e Sites WordPress on-line e sob o mesmo teto. Nossa plataforma de nuvens de alto desempenho e repleta de recursos inclui:

  • Fácil configuração e gerenciamento no painel MyKinsta
  • Suporte especializado 24/7
  • O melhor hardware e rede do Google Cloud Platform, alimentado por Kubernetes para a máxima escalabilidade
  • Integração Cloudflare de nível empresarial para velocidade e segurança
  • Audiência global com centros de dados de até 35 e 275+ PoPs no mundo todo

Teste você mesmo com um desconto de 20 dólares em seu primeiro mês de Hospedagem de Aplicativos ou Hospedagem de Banco de Dados. Explore nossos planos ou entre em contato com as vendas para encontrar seu melhor ajuste.