Em 2016, o tráfego móvel superou o tráfego de desktops pela primeira vez na história. E se você tem acompanhado as mudanças do algoritmo do Google nos últimos anos, deve ter notado uma tendência predominante de dispositivos móveis. Convenientemente, após o tráfego móvel ter crescido acima dos níveis totais do tráfego de desktops, o Google anunciou que a indexação do mecanismo de pesquisa faria uma transição para adotar uma abordagem mobile-first.

Embora o Google tenha confirmado que o anúncio não teria efeito imediato e ocorreria lentamente enquanto os testes estavam em andamento, já se passou mais de um ano e meio desde o comunicado original. Em 26 de março de 2018, o Google anunciou oficialmente o início da implementação da indexação mobile-first. Isso traz sérias mudanças para o status quo da indexação.

Atualmente, a maioria dos sites mal está otimizada de forma adequada para desktops, que dirá para dispositivos móveis, nos quais 21% de sites de pequenas empresas não estão “otimizados”. Se o Google, de repente, fizesse a alteração para a indexação mobile-first, a maioria dos sites que dominam a competição enfrentaria uma Grande Depressão SEO, potencialmente capaz de destruir seu modus operandi atual.

Então, o que a indexação mobile-first realmente significa? Quando ela começará a surtir efeito e como você pode se preparar? Neste post, explicaremos o que é mobile-first e como você pode preparar seu site WordPress para as mudanças que estão por vir e evitar potenciais desastres.

Com qualquer anúncio do Google, às vezes é difícil ler nas entrelinhas. Caramba, nós nem tivemos a confirmação dos dois principais fatores de ranking por mais de uma década. Obter uma resposta direta do Google é tão raro quanto um eclipse solar completo. A indexação em primeiro lugar para dispositivos móveis é um conceito bastante simples, mas as pessoas geralmente a definem de maneiras desnecessariamente complexas.

Deixe-me explicar isso simplesmente para você: o Google observou que a maioria das pessoas em todo o mundo está navegando em dispositivos móveis e, portanto, visitando as versões móveis dos sites. Atualmente, no entanto, todo o sistema de indexação examina primeiro a versão para computador de um site ao avaliar a qualidade e a relevância para os usuários.

Essa é uma enorme e potencialmente prejudicial desconexão do Google que poderia levar os usuários a abandonar a plataforma. Como assim? Se a maioria das pessoas está usando dispositivos móveis para navegar, mas o Google indexa as versões da área de trabalho quanto à relevância e à qualidade, é provável que os usuários de dispositivos móveis tenham uma experiência insatisfatória.

E lembre-se da estatística anterior: 21% dos sites para dispositivos móveis de pequenas empresas não são otimizados. Isso significa que muitos usuários do Google visitam inevitavelmente sites para dispositivos móveis de baixa qualidade. Os sites do Google e de empresas não podem permitir que isso aconteça mais. Não quando 85% dos usuários não retornam ao seu site ou marca depois de ter uma experiência ruim com dispositivos móveis. Não quando 85% dos usuários não retornam ao seu site ou marca depois de ter uma experiência ruim com dispositivos móveis.

E não seria nada incomum que o tráfego caísse se o Google não endereçasse esse rompimento massivo. Em 2013, a empresa sofreu uma simples queda de cinco minutos em seus serviços, resultando em reduções globais de tráfego de 40% e uma perda de receita líquida de US$545 mil.

Os dados mostram que a Alphabet Inc (empresa mãe do Google) gera mais de US$3.200 de receita a cada segundo. Isso significa que uma única queda de cinco minutos nos serviços em 2018 produziria uma perda líquida de quase o dobro em relação àquilo que ocorreu com o Google em 2013:

Dinheiro perdido durante uma queda do website

Dinheiro perdido durante uma queda do website (Fonte da imagem: InvestorPlace)

É seguro afirmar que o Google está protegendo seu modelo atual, buscando prevenir que quaisquer catástrofes potenciais aconteçam tanto em termos de receita quanto de fatia de mercado.

Por esses motivos, o Google implementará lentamente as mudanças para tornar os sites móveis a maior prioridade quando se trata de indexar conteúdo por relevância e qualidade. O Google ainda indexará as versões desktop de seu site, mas ele dará prioridade para a versão móvel.

A mobilidade é mais importante do que nunca. Recentemente, no final de 2017, especialistas da indústria começaram a perceber testes de mobile-first e implementações para alguns sites. O Analista do Google Webmaster Gary Illyes trouxe essa informação ao público na conferência SMX East.

E em 26 de março de 2018, o Google anunciou oficialmente o início da implementação da indexação mobile-first. Mas fique tranquilo, isso ocorrerá de forma lenta e estável. O que significa que você não precisa se preocupar em acordar e se deparar com um apocalipse na internet, tendo seu ranqueamento e tráfego exterminados de um dia para o outro.

John Mueller, um Analista do Google Webmaster, também disse que os usuários serão informados através do Google Search Console quando seu site tiver sido movido para essa nova indexação. Você pode ver um exemplo deste e-mail abaixo.

E-mail do Google sobre indexação mobile-first habilitada

E-mail do Google sobre indexação mobile-first habilitada

Mas isso também não significa que você pode ficar sentado esperando que a implementação ocorra em seu site. Ela se aproxima, estando ou não preparado. Aqui está como você pode saber se seu site está pronto e quais alterações precisará realizar para estar coberto nesse panorama de mudança.

Torne Seu Site Mobile-Friendly ou Responsivo o Mais Rápido Possível

De acordo com o comunicado de imprensa do Google, existem algumas condições às quais devemos estar atentos sobre a indexação móvel. Primeiro, o Google deixou claro que sites usando protocolos mobile-friendly ou responsivos que estejam atualizados se dariam bem com esta atualização.

Se o seu site é mobile-friendly ou responsivo, o que significa que seu conteúdo se atualiza dinamicamente entre desktops e dispositivos móveis, você não precisa fazer nenhuma mudança fundamental. Embora isso não signifique que não deva estar preocupado em melhorar seu site móvel, você terá menos trabalho a ser feito.

Então, como você sabe que seu site é mobile-friendly ou responsivo? Uma das formas mais fáceis de descobrir é simplesmente usar a ferramenta de compatibilidade com dispositivos móveis do Google.

Teste de compatibilidade com dispositivos móveis do Google

Teste de compatibilidade com dispositivos móveis do Google

Você também pode examinar seu site através de uma ferramenta externa de terceiros, como a Responsive Design Tool. Quando você insere seu website na barra de pesquisa, a ferramenta exibe como seu site móvel é apresentado nos dispositivos móveis, nos tablets e nos desktops:

Teste de design responsivo

Teste de design responsivo

Se você possui sites distintos para dispositivos móveis e desktops atualmente, nos quais precisa fazer as mudanças e alterações separadamente, seu site não é responsivo. Por exemplo, se o conteúdo e a linguagem de marcação são diferentes em cada site, o Google recomenda que você realize mudanças.

Os iniciantes devem se certificar de que oferecem marcações estruturadas tanto na versão móvel quanto na versão desktop dos sites. Você pode fazer uma verificação dupla desses recursos usando a Structured Data Tool. Examine sua URL através da ferramenta de dados estruturados e ela enviará seus dados diretamente para sua conta no Google Search Console, em “Aparência da Pesquisa → Dados Estruturados”.

A partir daí, veja se seus dados estruturados podem ser rastreados sem erros e se os sitemaps estão atualizados. Se você encontrar problemas, o Search Console informará a você os passos exatos a serem seguidos para corrigir os erros.

Dados estruturados no Google

Dados estruturados no Google

Com a nova atualização do mobile-first index se aproximando rapidamente, seu site precisa ser responsivo ou mobile-friendly. Mas se seu site não for, não entre em pânico. Você pode resolver isso rapidamente sem gastar muito dinheiro ou sem precisar inspecionar seu website inteiro.

Utilize um Tema WordPress Responsivo

Um dos grandes benefícios de utilizar o WordPress é que quase todos os temas vendidos hoje são responsivos por padrão. Entretanto, se você estiver usando um tema mais antigo ou desatualizado, existem grandes chances de que seu tema WordPress não seja mobile-friendly ainda. Aqui estão algumas ações a serem tomadas.

Primeiro, certifique-se de que seu tema WordPress esteja completamente atualizado. Por vezes, os desenvolvedores redefinem os códigos dos temas antigos ou os movem para frameworks para garantir que eles se tornem mobile-friendly. Se você estiver pulando diversas versões, recomendamos que realize um backup antes e teste a nova versão em um site de testes.

Segundo, se você estiver usando um tema WordPress desatualizado ou o desenvolvedor não estiver mais ativo, talvez seja hora de mudar para um novo tema. Existem muitos temas WordPress gratuitos e premium excelentes para escolher. Você pode optar por um leve, rápido e responsivo como GeneratePress ou OceanWP. Eles permitem que você construa todo tipo de website e possuem até suporte para lojas de eCommerce.

GeneratePress

GeneratePress

Aqui estão alguns desenvolvedores de temas que recomendamos que dê uma olhada:

Contrate um Desenvolvedor WordPress para Tornar Seu Site Mobile-Friendly

Talvez você tenha um tema WordPress ou site personalizado e não possa fazer a migração para um novo tema WordPress. Neste caso, talvez você precise desembolsar um pouco mais de dinheiro e contratar um desenvolvedor WordPress para se certificar de que seu site se torne mobile-friendly. Isso pode envolver a movimentação para um novo framework ou até mesmo redesenhar todo o seu código base. Certifique-se de obter algumas cotações antes de seguir em frente. Dependendo do seu site, esse pode ser um pequeno ou grande empreendimento. Algumas empresas que recomendamos para realizar o serviço:

Utilize um Plugin de Mobilidade no WordPress

Se você estiver em apuros, também é possível usar um plugin de mobilidade no WordPress. Apesar deste ser o último recurso      que recomendamos, essa pode ser uma das formas mais fáceis de garantir que seu site se torne mobile-friendly imediatamente.

Alguns dos melhores plugins para otimização móvel atualmente são: WPtouchWP Mobile PackJetpackOBox Mobile. Com mais de cinco milhões de downloads, o WPtouch é um dos plugins mais atualizados, suportados e confiáveis para otimizar as experiências em dispositivos móveis.

Plugin de mobilidade no WordPress WPtouch

Plugin de mobilidade no WordPress WPtouch

Atualmente ativo em mais de 200 mil sites e selecionado como a escolha principal do Google para soluções móveis, essa é uma aposta segura e eficiente. O plano mais em conta é disponibilizado por US$79,00, mas você pode personalizar seus recursos de forma a la carte se quiser misturar planos e valores. O WPtouch adiciona um tema móvel para os visitantes do seu site WordPress.

Ele cria uma versão mobile-friendly instantaneamente, que extrai dinamicamente o conteúdo entre seu site desktop e site móvel. No painel, você pode personalizar os temas pré-desenvolvidos que são disponibilizados para que também se adequem à sua marca nos desktops:

Exemplo WPtouch

Exemplo WPtouch

WPtouch é uma das formas mais fáceis de garantir que seu site móvel ofereça uma melhor experiência de usuário para o mobile-first index que se aproxima.

Foque em Melhorar a Velocidade do Site

Quando se trata de otimizar seu site para mobile-first, a velocidade é um dos fatores mais importantes a se ter atenção. Ela desempenha uma função importantíssima em tudo, desde a usabilidade até as taxas de rejeição, determinando se potenciais clientes retornarão ou não ao seu site.

De fato, experiências móveis ruins levam a maioria dos usuários a nunca mais retornarem. De acordo com o último relatório do Google sobre velocidade do site, o tempo médio que um site móvel leva para ser carregado em 2018 é de 15 segundos. Você consegue se imaginar esperando quase meio minuto para carregar uma única página? É assustador.

Como você pode imaginar, usuários exigem (e merecem) algo melhor. De acordo com o mesmo relatório de velocidade da página, 53% dos visitantes de sites móveis deixam as páginas que levam mais de meros três segundos para carregar.

Experiências móveis lentas não matam conversões. Elas impedem que você sequer tenha a chance de converter os prospectos. Conforme os tempos de carregamento das páginas aumentam em apenas alguns segundos, as chances de alguém rejeitá-las crescem exponencialmente.

Page load time bounce stats

Estatísticas de rejeição por tempo de carregamento das páginas (Fonte da imagem: Google)

Se o seu website móvel levasse mais de dez segundos para carregar, você poderia perder quase todos os seus clientes e consumidores em potencial. E eu tenho novidades para você: seu website é, provavelmente, lento demais. De acordo com o Google, o site médio em cada uma das indústrias é lento demais.

Índice de velocidade média

Índice de velocidade média (Fonte da imagem: Google)

Reduzir sua taxa de rejeição sempre deve ser sua maior prioridade. Uma das melhores formas de fazê-lo é melhorar a velocidade do seu site. Você quer proporcionar aos seus usuários uma chance real de consumirem seu conteúdo, ao invés de deixarem a página em um ataque de fúria.

Você pode utilizar ferramentas como GTmetrixWebPageTest ou Chrome DevTools para visualizar o quão rápido seu site carrega em conexões móveis 2G ou 3G.

Teste de velocidade 3G com GTmetrix

Teste de velocidade 3G com GTmetrix

Com a ferramenta Test My Site do Google, você pode fazer uma verificação do seu site móvel atual e receber insights diretos sobre os passos necessários para melhorar sua velocidade. Examinar seu site na ferramenta gerará uma versão gratuita do seu relatório, que será enviada diretamente para sua caixa de e-mail. O relatório cobre a velocidade atual do seu site comparada aos seus concorrentes. Ele também exibe as potenciais perdas de visitantes:

Velocidade móvel

Velocidade móvel

Com base nos dados de referência, o Google oferece a você formas diretas e acionáveis para tornar seu site mais rápido. Ele até estima a redução que cada tarefa poderia causar sobre os tempos de carregamento:

Recomendações para tornar seu site mais rápido

Recomendações para tornar seu site mais rápido

Clique em qualquer uma das dicas de “veja como” e você receberá tutoriais passo a passo sobre como corrigir os problemas no seu site. Antes de simplesmente encaminhá-las ao seu desenvolvedor, veja alguns dos nosso tutoriais que você pode seguir para fazer as correções rapidamente por conta própria:

Após realizar as alterações sugeridas, examine seu site novamente com a ferramenta e compare os resultados. Você deverá ser capaz de observar melhorias dramáticas, que irão preparar seu site para o sucesso no mundo mobile-first que se aproxima. Lembre-se: você dificilmente conseguirá corrigir tudo. O valor mais importante a se atentar é o tempo de carregamento geral do seu site.

Também se certifique de escolher uma hospedagem WordPress veloz, como a Kisnta. Ficamos novamente no nível mais alto dentre os benchmarks de desempenho de 2018 da ReviewSignal e somos impulsionados por Google Cloud Platform, uma das redes mais rápidas do mundo.

Implemente o Google AMP

Se você ainda tem dificuldades com a velocidade do seu site WordPress, talvez queira considerar a implementação do Google AMP. O Google AMP (Accelerated Mobile Pages Project) oferece, essencialmente, uma forma de exibir uma versão enxuta de sua página da web atual sem todos os recursos que reduzem sua velocidade, como JavaScript, CSS em excesso, entre outros. Existem plugins de terceiros que tornam esse processo muito fácil.

Lutando com tempo de inatividade e problemas no WordPress? Kinsta é a solução de hospedagem projetada para economizar seu tempo! Confira nossos recursos
Google AMP

Google AMP

Entretanto, recomendamos que você prossiga com cautela dependendo do tipo de site WordPress que possui. Devido ao fato de o Google AMP representar uma grande mudança, ele é capaz de impactar tudo, desde taxas de conversão até os CTAs. Eles podem ser configurados de volta, mas exigem algum trabalho. Se você possui um site com WooCommerce e muitos clientes em dispositivos móveis, certifique-se de testar tudo!

Acabamos removendo o Google AMP do site da Kinsta após a realização dos testes. Entretanto, isso não significa que não o testaremos novamente no futuro. O Google tem feito melhorias constantes nesta tecnologia.

Torne a Mobilidade Sua Maior Prioridade

Com o tráfego móvel dominando o panorama online de navegação e o Google se ajustando de acordo, agora é o momento de mudar seu próprio foco interno. E apesar da velocidade do site ser um passo direto que você pode tomar para melhorar seu site para o mobile-first index, não significa que tudo está terminado.

Dispositivos móveis vs tráfego de desktop

Dispositivos móveis vs tráfego de desktop

Se você quer encontrar o verdadeiro sucesso com um site móvel, ele deve se tornar sua prioridade. Isso significa que você precisa ir além da otimização dinâmica e da responsividade. Seu site inteiro deve atender ao usuário de dispositivos móveis. Tudo é levado em conta, da estrutura ao design e aos elementos que você utiliza.

Os usuários navegam de uma forma diferente em dispositivos móveis quando comparamos com os desktops. Por isso, na maioria das vezes, simplesmente copiar o site desktop para os dispositivos móveis não otimizará a experiência do usuário. Nesses aparelhos, as telas são menores, o poder computacional é limitado e os usuários costumam estar em movimento.

Elementos típicos das páginas e imagens de alta resolução irão prejudicar a experiência móvel do usuário. Ter uma arquitetura profunda do site pode causar experiências móveis terríveis, forçando os usuários a clicarem em várias abas para chegar ao conteúdo que desejam:

Arquitetura do Website

Arquitetura do website (Fonte da imagem: Riverbed Marketing)

Resolver esses tipos de problemas exige, obviamente, uma linha de pensamento séria. Pode ser necessário até mesmo um grande replanejamento da estrutura do seu site. Mas a iminente abordagem do Google de mobile-first index pode ser a gota d’água.

Se a estrutura atual do seu site é profunda e difícil de navegar em dispositivos móveis, você realmente deve considerar testar a experiência de usuário. Veja quais seções são difíceis de ativar e quais são os pontos comuns de saída.

Com mobile-first, você deve buscar simplificar a experiência dos usuários móveis em seu site. Ao invés de criar um site desktop complexo primeiro e depois um site móvel, inverta o roteiro. A HubSpot fez esse teste em 2015, quando decidiu simplificar tudo em seu site móvel.

Primeiro, eles começaram com o conteúdo das landing pages. Diminuíram seus tamanhos e limitaram a quantidade de rolagem, diminuição, zoom e cliques que um usuário precisa realizar nelas:

Formatação móvel

Formatação móvel (Fonte da imagem: Hubspot)

Em seguida, eles reduziram os formulários que acompanhavam essas páginas:

Formulários móveis

Formulários móveis (Fonte da imagem: Hubspot)

Após atualizarem suas landing pages e seus formulários subsequentes, para que se tornassem condensados e simples em dispositivos móveis, eles alcançaram 27% de redução média nas taxas de rejeição móveis. Combinando a simplificação do conteúdo e a arquitetura do site com design responsivo, diminuíram a taxa de rejeição em mais 10,1%.

Em dispositivos móveis, você deve afinar tudo, do design responsivo à velocidade, arquitetura e experiência do usuário. E a única forma de fazê-lo é colocar a mobilidade em primeiro lugar nas suas prioridades.

Outro detalhe importante a se notar é que, com a indexação de mobile-first, o conteúdo que fica recolhido ou oculto em abas não será tratado diferente do conteúdo visível (como ele era anteriormente), já que esse tipo de gerenciamento de tela é uma prática recomendada em dispositivos móveis. Saiba mais sobre o assunto aqui.

Confira essas dicas adicionais sobre como desenvolver conteúdo para mobile-first index.

Monitore Palavras-Chave Móveis

Preocupado sobre seu SEO com o novo mobile-first index? Embora tudo o que mencionamos anteriormente possa ajudar a melhorar seu SEO, você talvez queira monitorar o ranqueamento de suas palavras-chave na comparação entre dispositivos móveis e desktops. Isso é especialmente importante para aqueles com um domínio móvel separado, como m.exemplo.com.

Você pode fazer isso facilmente com uma ferramenta como Accuranker ou SEMrush. Agora é um bom momento para fazer essa implementação, antes que tudo ocorra, assim você pode monitorar com eficiência como seu site é impactado pela nova mudança do Google.

Accuranker compara ranqueamentos de dispositivos móveis vs desktops

Accuranker compara ranqueamentos de dispositivos móveis vs desktops

Dicas Adicionais do Google

Aqui estão algumas dicas adicionais recomendadas pelo Google:

  • Certifique-se de que a versão móvel do seu site também contenha conteúdo importante e de alta qualidade. Isso inclui textos, imagens (com o atributo alt) e vídeos – nos formatos usuais que podem ser rastreados e indexados.
  • Os metadados devem estar presentes nas duas versões do site. Isso inclui fatores como títulos, meta descriptions, cabeçalhos, entre outros. Confira nossa lista de verificação de SEO.
  • Verifique links hreflang em URLs móveis separadas. Ao utilizar elementos rel=hreflang em links para promover internacionalização, faça a vinculação entre URLs móveis e de desktop separadamente. O hrflang de suas URLs móveis deve apontar para as outras versões de idiomas/regiões de URLs também móveis, assim como a veiculação de versões de desktop deve ser realizada usando elementos hreflang com outras URLs de desktop. Se seguir nosso guia multilíngue do WordPress você se sairá bem!
  • Garanta que os servidores que hospedam o site possuam capacidade suficiente para lidar com a taxa potencialmente maior de rastreamento. Isso não afeta sites que usam um design responsivo e exibição dinâmica, apenas aqueles onde a versão móvel está em uma hospedagem separada, como m.exemplo.com
  • Nenhuma alteração é necessária para fazer interligações com URLs móveis separadas (sites m.). Para sites usando URLs móveis separadas, mantenha os elementos link rel=canonical e link rel=alternate existentes entre essas versões. Glenn Gabe se aprofundou em alguns problemas adicionais observados com domínios móveis separados e tags canônicas.

Conclusão

A menos de dois anos atrás, o tráfego móvel ultrapassou o tráfego de desktops ao redor do mundo e o Google nos informou que faria mudanças na forma como as informações são indexadas. E agora chegou o momento! O Google começou a implementar o novo mobile-first index em 26 de março de 2018.

Se o seu site ainda não foi movido, ainda há tempo para estar à frente da mudança. Foque em tornar seu site mobile-friendly e responsivo, melhore sua velocidade e coloque a mobilidade em primeiro lugar em tudo o que você fizer em seu site.

Você tem outras dicas sobre mobile-first index que não abordamos? Compartilhe conosco nos comentários abaixo.

39
Shares