Começar e monetizar um blog nunca foi tão fácil quanto hoje.

Não faz tanto tempo que criar uma website custaria milhares ou até dezenas de milhares de reais para configurar e manter. Monetizá-lo era igualmente difícil. O PayPal estava surgindo, o Stripe nem sequer existia e o e-mail marketing não era tão flexível quanto é agora.

Hoje, no entanto, é possível começar, manter e monetizar um blog no WordPress com apenas algumas centenas de reais (isso pode variar com base no que você precisa que seja feito). Mas só porque é mais fácil ganhar dinheiro com seu blog hoje, não significa que a maioria dos blogueiros consiga fazer isso.

De acordo com o relatório de estado de blogs de 2017 da ConvertKit, os blogueiros profissionais relataram um lucro médio de US$ 138.064 no último ano, enquanto blogueiros amadores (que totalizavam 86% dos entrevistados) ganharam apenas US$ 9.497.

Isso é terrível, especialmente quando se considera que a maioria dos blogueiros começa um blog para que possam ser seus próprios chefes e abandonar seus empregos maçantes de 8 às 5.

Por que você começou seu blog?

Por que você começou seu blog? (Fonte da imagem: ConvertKit)

 

 

Então, como você deixa de ser um blogueiro amador para se tornar um dos profissionais que recebe seis dígitos todo ano?

Bom, é necessário ter um plano de marketing sólido, que inclui conteúdo, um nicho rentável e uma ótima estratégia de monetização.

Você também precisa fazer uma matemática rápida.

Quando você deve começar a monetizar seu blog?

Não existe um número específico para quanto tráfego ou quão grande sua lista de e-mail deve ser para ganhar dinheiro com seu blog, porque tudo isso depende daquilo que você vende e como vende.

(Sugestão de leitura: Quanto vale meu site? e 77 Táticas Comprovadas para Conduzir o Tráfego para o Seu Website).

No entanto, ter duas questões esclarecidas logo de início ajudará muito:

  1. Obtenha tráfego constante: Você não precisa de dezenas de milhares de visitantes, mas ter pelo menos mil visitas por mês significa que está fazendo alguma coisa certa.
  2. Aumente sua lista de e-mail: Novamente, você não precisa mirar em um número exorbitante. Mostraremos exemplos de pessoas que tinham uma lista pequena, mas ainda assim foram capazes de usá-la a seu favor.

Esses dois fatores importam, mas, primordialmente, monetizar seu blog de forma eficiente é uma questão de números.

Por exemplo, se você precisa ganhar US$ 6.000 com seu blog:

Monetização é matemática, não mágica.

Isso não significa que a chave para a monetização é simplesmente aumentar os preços do que vende. Em vez disso, significa que você deve escolher uma estratégia de monetização que se alinhe com o lugar onde seu blog está agora ou onde deseja que ele esteja no futuro.

Neste artigo, mostraremos como é possível monetizar um blog e ganhar dinheiro on-line, esteja você recebendo milhares de visualizações de páginas por mês ou apenas começando.

Demonstraremos algumas estratégias sólidas que outros blogueiros usaram para gerar receita em seus próprios blogs de diversos nichos e ensinaremos como você pode fazer o mesmo em seu blog.

Monetização é matemática, não mágica. 🧙‍♂️ Mas você precisa escolher uma estratégia que se alinhe com suas metas.Click to Tweet

1. Torne-se um blogueiro freelancer em seu nicho

Uma das formas mais fáceis de ganhar dinheiro com seu blog é se tornar um escritor freelancer para blogs proeminentes em seu nicho.

Pense nisso: você provavelmente começou seu blog porque tem experiência/conhecimento nessa área, então por que não usar isso em seu favor?

Empresas estão procurando pessoas que possam criar conteúdo para impulsionar seu marketing, então quem melhor para fazer isso que alguém com conhecimento do nicho?

O blogueiro freelancer Bamidele Onibalusi usou seu blog, Writers in Charge, para mostrar suas habilidades com marketing de conteúdo, ao mesmo tempo em que aumentava seu público. Agora ele tem uma renda integral escrevendo para outras empresas.

De acordo com a Glassdoor, um freelancer médio nos Estados Unidos ganha cerca de US$ 40 mil por ano. Tenha em mente que esse número é influenciado por seu nível de experiência e o nicho sobre o qual você escreve.

Aqui está o detalhamento de quanto você pode ganhar em diferentes nichos, de acordo com a Editorial Freelance Association:

Média de ganho de um escritor freelancer por nicho

– Média de ganho de um escritor freelancer por nicho (Fonte da imagem: Contena Community)

Talvez você não seja capaz de cobrar esses valores quando começar, mas conforme ganha experiência e credibilidade, seus preços também sobem. Porém, tenha cuidado para não cobrar um valor muito baixo no início.

Cobrar US$ 10 por um artigo pode parecer uma forma fácil de começar a ter clientes, mas na verdade isso pode afastar os clientes de qualidade, uma vez que suas habilidades serão questionadas. Isso sem falar que cobrar tão pouco pode acabar com sua motivação para continuar.

E já que estamos no tema preço, o melhor a fazer é cobrar seus clientes por projeto ao invés de aplicar uma taxa por hora, uma vez que pode ser difícil determinar quanto tempo você levará para completar uma tarefa, especialmente quando estiver começando sua vida como freelancer.

Cobrar uma taxa baseada no projeto em si significa que você será recompensado por terminar mais rápido e seus clientes saberão quanto vão pagar desde o início.

De acordo com a WriteWorldwide, aqui está quanto você pode cobrar por projeto em seu primeiro ano como escritor freelancer, sem levar em conta seu nicho ou experiência anterior com escrita.

Quanto cobrar para escrever

Quanto cobrar para escrever (Fonte da imagem: Write Worldwide)

A melhor parte sobre ser um escritor freelancer é que você não precisa de muito tráfego em seu blog para começar a ganhar dinheiro. O que realmente importa para as empresas é se você é capaz de escrever conteúdo de ótima qualidade.

Jorden Roper, por exemplo, ganhou US$ 5 mil em seu quarto mês como escritora freelancer e Jennifer Gregory atinge cerca de seis dígitos por ano com seu negócio nesse mesmo ramo.

Como um blogueiro freelancer, seu trabalho é criar conteúdo escrito que atraia visitantes para o website de uma empresa, para que alguns desses visitantes sejam convertidos em clientes.

De acordo com o relatório de 2019 do Content Marketing Institute, profissionais de marketing estão prontos para investir mais dinheiro na criação de conteúdo e 50% dos entrevistados espera que seu orçamento para marketing de conteúdo aumente em 2019.

Aumento de investimento B2B em criação de conteúdo

Aumento de investimento B2B em criação de conteúdo (Fonte da imagem: CMI SlideShare)

Se existem empresas ganhando dinheiro no seu nicho e elas estão criando conteúdo, então pode apostar que precisam de escritores.

Perceba que eu mencionei que as empresas precisam estar ganhando dinheiro. Um dos maiores erros que você pode cometer como blogueiro freelancer é escolher um nicho em que as empresas não consigam te pagar.

Por exemplo, escrever sobre arte pode ser sua ideia e você pode ter muito conhecimento sobre isso, mas quantos blogs são capazes de te pagar regularmente para escrever sobre esse tema?

O caminho para a lucratividade como blogueiro freelancer é encontrar o mercado certo para se posicionar.

Uma forma rápida de testar se é possível ganhar dinheiro em seu nicho é encontrar pelo menos dez escritores que cubram os tópicos sobre os quais você deseja escrever. É possível fazer isso simplesmente fazendo uma pesquisa no LinkedIn com as palavras-chave do seu nicho.

Por exemplo, quando pesquiso por pessoas com o título exato de “escritor freelancer de finanças pessoais” no LinkedIn, recebo cerca de 42 resultados. Também é possível fazer isso sem as aspas para uma pesquisa mais ampla que vai gerar ainda mais resultados.

Pesquisa por escritor freelancer de finanças pessoais no LinkedIn

Pesquisa por escritor freelancer de finanças pessoais no LinkedIn

Essa é uma forma fácil de validar seu nicho.

Já estabelecemos que você não precisa de muito tráfego para ganhar dinheiro como escritor freelancer, mas isso não significa que as pessoas vão simplesmente encontrar seu blog e te contratar.

Você precisa sair e promover seu serviço.

Quando já tiver criado amostras de textos em seu blog e talvez alguns posts como convidado em outros blogs, você poderá começar a entrar em contato com as empresas para as quais deseja escrever.

Também é possível usar marketplaces de freelancers como Upwork, SEOclerks e Fiverr. Porém, embora alguns escritores freelancers ganhem muito dinheiro, como Danny Marguiles, que ganhou mais de US$100 mil em um ano no Upwork, a maioria ganha muito pouco dinheiro nessas plataformas.

Para evitar a corrida para o fundo do poço que envolve a maioria dos marketplaces de freelancers, você precisará fazer a maior parte da divulgação por conta própria.

Como encontrar blogs para os quais escrever

A melhor forma de encontrar empresas ou blogs em seu nicho para os quais escrever é simplesmente fazer uma pesquisa no Google por palavras-chave relacionadas ao nicho e ver quais são os resultados.

Porque claramente os blogs que aparecem nas primeiras páginas do Google estão investindo bastante em marketing de conteúdo.

Por exemplo, se eu estivesse tentando escrever em blogs no nicho fitness, uma simples pesquisa por um termo como “blog fitness” me retornaria o seguinte:

Blog fitness na pesquisa do Google

Blog fitness na pesquisa do Google

Você também pode pesquisar por termos relacionados especificamente ao seu nicho. Por exemplo, no caso de fitness, alguma coisa como “planos de exercícios”:

Planos de exercícios na pesquisa do Google

Planos de exercícios na pesquisa do Google

Agora, tudo o que você precisa fazer é entrar em contato com os proprietários dos blogs e oferecer a eles seu serviço de escritor freelancer.

Tire proveito do seu próprio site

Além de buscar novas oportunidades para escrever, você também pode tirar proveito do seu próprio site. Afinal, você é um escritor.

Use inbound marketing e SEO para direcionar pessoas para seu site, onde poderá oferecer a elas seus serviços como escritor e blogueiro.

A escritora freelancer Maddy Osman faz isso em seu site de freelancing, The Blogsmith.

Preços da escritora freelancer Maddy Osman

Preços da escritora freelancer Maddy Osman

2. Venda e-books para o seu público

Vender e-books é uma das formas mais populares pelas quais blogueiros escolhem monetizar seus blogs. É perfeita, pois é relativamente fácil de criar e costuma ter um preço adequado para que a maioria dos visitantes seja capaz de comprar.

Mas e-books fazem mais do que permitir que blogueiros monetizem seus blogs rapidamente. Vender e-books pode ser a forma mais rápida de testar se as pessoas estão suficientemente interessadas no tema a ponto de para pagar por isso.

E-books também são uma forma de baixo risco para os visitantes do seu site avaliarem o valor que você pode entregar antes de comprarem produtos mais caros.

Ao contrário da crença popular, você não precisa de muito tráfego em seu blog para ganhar dinheiro com seus e-books. Por exemplo, David Oudiette converteu o conhecimento que adquiriu desenvolvendo landing pages em um e-book de 252 páginas por US$ 39.

Ele não tinha muito tráfego em seu blog, já que naquela época só prestava consultorias, mas David foi capaz de gerar mais de US$ 13 mil de receita com seu e-book.

E-book “The landing page cookbook”

E-book “The landing page cookbook” (Fonte da imagem: your landing page sucks!)

Aqui está o que David precisou fazer para vender tantos e-books:

Portanto, David não precisou de muito tráfego, mas teve que trabalhar bastante.

Também temos o caso de Taylor Pearson, que vendeu mais de cinco mil e-books em quatro semanas e, em 2015, ganhou mais de US$ 60 mil apenas com seu livro. Taylor tinha apenas 700 assinantes de seus e-mails na época.

Taylor credita o sucesso de seu e-book a alguns fatores:

O e-book acabou se tornando um best-seller na seção de pequenas empresas da Amazon e o resto é história.

E-book “The End of Jobs”

E-book “The End of Jobs” (Fonte da imagem: Amazon)

O que é ótimo sobre esses exemplos é que eles nos mostram que, com o marketing certo e um bom e-book, você não precisa ter tantos assinantes e, com certeza, não precisa ser um escritor experiente.

Nenhum desses autores publicou seu conteúdo e ficou torcendo para dar certo. Pelo contrário, eles trabalharam muito para que seus e-books decolassem.

Onde vender seu e-book

Em seguida, você pode escolher entre vender seu e-book diretamente em seu blog ou através de plataformas como Gumroad ou Podia.

Vender seu e-book em seu próprio site pode ter suas vantagens, uma vez que receberá 100% do lucro. Por exemplo, Harsh Agrawal, do ShoutMeLoud, tem uma seção inteira de seu site dedicada exclusivamente a seus diferentes e-books.

E-books ShoutMeLoud

E-books ShoutMeLoud

Você pode criar algo nesse estilo facilmente com o plugin WordPress Easy Digital Downloads.

Se optar por publicar seu e-book com o Kindle da Amazon, poderá ficar com apenas 70% dos lucros, mas isso vem acompanhado da vantagem de que quanto mais livros você vende, mais exposição ganha, o que leva a ainda mais vendas.

Vender e-books também não é algo restrito a um nicho em particular. Existem e-books sobre blogs, fotografia, fitness e tudo o que você puder imaginar.

Por exemplo, se você tivesse um blog que ensinasse jardinagem, poderia vender um e-book que mostrasse ao seu público, em maiores detalhes, como cultivar seus próprios jardins ou uma planta em especial.

Você pode até mesmo reaproveitar parte do conteúdo que já escreveu em seu blog e adicionar mais detalhes e contexto.

Como fazer o e-book

Se você não tem tempo ou habilidade para escrever um livro por conta própria, pode contratar um escritor-fantasma para fazer isso por você.

É possível encontrar escritores-fantasma no LinkedIn, Scripted, Upwork e até mesmo no Fiverr. Tenha em mente que, como em qualquer outro caso, você recebe por aquilo que paga. Escritores mais experientes cobram mais do que iniciantes.

Você também pode criar a capa do livro por conta própria com ferramentas como Canva, Photoshop e Snappa, ou pode pagar por um serviço como o disponibilizado pelo 99designs e deixar que um profissional faça isso por você.

3. Crie e venda cursos on-line

Outra forma de monetizar seu blog é vender cursos on-line. O que impede que muitos blogueiros criem seus próprios cursos é que eles pensam que precisam ser algum tipo de especialista para ministrá-los.

Mas isso não é verdade. Tudo o que você realmente precisa para conduzir um curso é ter mais conhecimento que as pessoas que está ensinando e ser capaz de apresentar essas informações de forma que o público consiga extrair seu valor.

Ramit Sethi, da IWT, ganha milhões com os cursos que cria. Não por ser um planejador financeiro certificado, mas porque ele ajuda pessoas a eliminarem problemas em suas vidas.

Curso financeiro

Curso de Finanças (Fonte da imagem: I Will Teach You To Be Rich)

Você não precisa ser um chefe de cozinha certificado para criar um curso que ensine as pessoas a cozinhar. Se você é capaz de cozinha melhor que a maioria das pessoas e de criar um material que realmente as ensine como cozinhar, então não há nada que o impeça de desenvolver seu curso.

As pessoas estão fazendo mais cursos on-line do que nunca. Espera-se que a indústria de e-learning cresça cerca de US$ 325 bilhões até 2025.

Você também não precisa ser um influenciador como Ramit Sethi para obter uma boa renda com seus cursos.

Há pessoas como Joseph Michael, que ganhou US$ 40 mil como novato ao ensinar escritores a usar o popular software de texto Scrivener.

Curso de Scrivene

Curso de Scrivener (Fonte da imagem: Scrivener Coach LLC)

Joseph não tinha milhares de visitantes ou uma lista de e-mails gigante. Ele vendeu seu curso ao entrar em contato com influenciadores e promover seu produto nos webinars em que participou.

Como ter ideias de cursos

Se você já tem um público, basta identificar um problema que seja compartilhado por boa parte dele e que você seja capaz de solucionar.

Formas de identificar pontos nevrálgicos que seu público precisa solucionar:

Aqui está um exemplo de Ramit Sethi fazendo exatamente isso em um de seus e-mails um pouco antes do Ano Novo:

Pesquisa por e-mail

Pesquisa por e-mail

Comentário no blog

Comentário do blog (Fonte da imagem: Nerd Fitness)

Entretanto, se você não tem um público, é possível ter ideias de cursos fazendo um brainstorming de uma lista de coisas que você faz melhor do que a maioria das pessoas.

Aqui estão algumas perguntas que vão te ajudar a descobrir isso:

No caso de Joseph, ele sabia como usar o Scrivener, algo que muitas pessoas achavam complexo. No seu caso, talvez seja tocar um instrumento ou se vestir. Contanto que seja capaz de fazer melhor do que a maioria das pessoas, você poderá ensiná-las.

Hospedando seus cursos

Você pode escolher hospedar seus cursos no WordPress com hospedagem LMS para WordPress, caso em que manteria a maior parte do lucro, mas seria necessário configurar tudo por conta própria, ou contratar um desenvolvedor para te ajudar.

Também existem plataformas terceirizadas em que você pode hospedar seus cursos. Essas plataformas cobram uma taxa mensal ou uma porcentagem sobre as vendas e, em troca, você tem uma plataforma mais profissional para hospedá-los.

Extensões WordPress para seus cursos

Plataformas terceirizadas para você hospedar seus cursos

4. Comece uma empresa de Coaching/Consultoria

Às vezes, as pessoas querem instruções mais detalhadas e personalizadas do que um livro ou curso são capazes de oferecer e, por isso, recorrem ao coaching individual (ou consultoria, dependendo do tipo de serviço que você oferece).

Coaching ou consultoria é uma estratégia de monetização que a maioria dos proprietários de blogs que tiveram sucesso vendendo livros e cursos adota quando desejam criar um fluxo adicional de receita.

No entanto, isso não é válido apenas para blogueiros estabelecidos, pois consultoria também pode ser uma estratégia de monetização desde o início.

Coaching, assim como a maioria das estratégias de monetização que já abordamos, depende da sua capacidade de usar suas habilidades e experiência para ajudar as pessoas a solucionarem problemas em suas vidas.

Brennan Dunn, por exemplo, auxilia empresas a venderem mais com automação de marketing e cobra cerca de US$ 9 mil por consulta, enquanto Nagina Abdullah ganha mais de US$ 100 mil por ano oferecendo coaching para clientes que desejam perder peso.

Aqui está um registro dos ganhos de Nagina ao longo do ano:

Receita com consultoria

Receita com consultoria (Fonte da imagem: Growthlab)

Se você já está gerando receita com livros e cursos, considere oferecer consultorias individuais para as pessoas que formam seu público.

E se está apenas começando, o caráter de baixo volume das consultorias significa que você pode começar a gerar receita sem muito tráfego.

Quando se fala em consultoria, não se trata apenas de quanto tráfego você gera, mas de obter o tipo certo de tráfego, ou seja, as pessoas que precisam dos seus serviços e podem pagar por eles.

Isso significa escrever posts direcionados em seu blog sobre assuntos com os quais seu tipo de cliente se importa, falar em podcasts que seu público ouve e ir a eventos onde ele se reúne para que conheça mais sobre você.

Empresas com modelos de assinaturas estão se tornando cada vez mais populares, a ponto deste fenômeno começar a ser chamado por alguns de economia da assinatura.

Tudo, desde a Netflix até provedores de hospedagem na web e sites de assinaturas, faz parte da economia da assinatura.

Economia da assinatura

Economia da assinatura (Fonte da imagem: Emma)

Um site de assinatura é uma seção fechada de sua negócio on-line que os membros assinam mensalmente ou anualmente para receber benefícios exclusivos.

As pessoas em sua comunidade compartilham um interesse em comum e os benefícios pelos quais elas pagam podem incluir artigos exclusivos, orientações, relatórios, webinars, encontros presenciais ou apenas estar rodeadas de pessoas com os mesmos interesses.

Sites de assinaturas não apenas permitem que você alcance mais pessoas, como também oferecem a todos um senso de comunidade e pertencimento.

Uma coisa que eu adoro nos sites de assinaturas é que todos fazem parte de um grupo, mesmo que não tenham consciência disso.

Isso significa que se você tem um interesse em algo, o mundo é tão grande e a Internet é tão conectada que é possível encontrar pessoas como você.

Por exemplo, Ryan Levesque adorava orquídeas e sabia como cultivá-las, por isso criou o Orchids Made Easy, em que oferece aos seus membros conteúdo exclusivo e uma plataforma onde eles podem se encontrar e aprender com outros amantes de orquídeas.

Os membros pagam US$9,95 todos os meses e como ele tem 1.800 membros, sua receita é de US$ 18 mil por mês.

Clube

Clube (Fonte da imagem: Orchids Made Easy)

Melhor ainda é que, com base em quanto você cobra por sua assinatura, talvez não precise de tanto tráfego.

Will Hamilton, da Fuzzy Yellow Balls, ensina jogadores de tênis a melhorar seu jogo e já teve 600 membros que pagavam US$25 todos os meses. Isso resulta em mais de US$ 15 mil por mês vindos de apenas 600 pessoas e isso foi em 2010.

Você pode criar um site de assinaturas para quase tudo o que desejar, desde que seu público-alvo tenha dinheiro e seja dedicado ao assunto.

Por exemplo, jogadores de tênis praticam por horas para serem bons, portanto são comprometidos. Além disso, também gastam dinheiro com equipamentos, logo eles têm dinheiro para te pagar.

Outro excelente exemplo são os golfistas. Eles estão dispostos a se esforçar para melhorar suas habilidades e também têm dinheiro para investir em equipamentos.

E é provavelmente por isso que Sean Ogle, do Breaking Eighty, conseguiu fazer com que 150 membros ingressassem em seu clube de golfe oito meses após iniciar seu blog. Os membros do Breaking Eighty pagam entre US$ 250 e US$ 500 anualmente.

Se você tem um público dedicado e que já gasta dinheiro para melhorar suas habilidades, então criar um site de assinaturas pode ser a opção mais lucrativa para você. É possível começar a ganhar milhares de dólares com apenas algumas centenas de membros.

Quando se trata de criar e gerenciar seu site de assinaturas, você pode usar os plugins WordPress ou plataformas de terceiros.

Gerenciando sites de assinaturas no WordPress

Gerenciando sites de assinaturas com ferramentas de terceiros

6. Ganhe Dinheiro Exibindo Publicidade (Banners de Anúncios)

Há muito ódio pelos anúncios gráficos na blogosfera. A maioria das pessoas diz que é uma estratégia ruim de monetização, porque não é possível ganhar um valor decente com ela.

Na maioria dos casos eles estariam certos, mas há um motivo pelo qual esses anúncios ainda são populares, apesar das opiniões negativas que recebe.

O motivo é que eles funcionam e são a forma mais rápida, mesmo que não seja a mais rentável, de começar a monetizar um site.

Na verdade, alguns blogueiros começam com esses anúncios até que encontrem uma estratégia de monetização mais rentável. Para alguns, aqueles primeiros dólares que entram na conta são motivação suficiente para continuaram com seus blogs.

Por exemplo, Alborz Fallah, do Car Expert, começou a monetizar seu site quando um amigo o perturbou até que ele colocasse anúncios do Google Adsense em seu blog. Os anúncios permitiram que Alborz passasse de nenhuma receita com seu blog para consistentes US$ 200 por dia enquanto mantinha seu emprego em tempo integral.

Sugestão de leitura: As 22 melhores alternativas ao AdSense para considerar para o seu site em 2019.

Mais tarde, Allborz começou a trabalhar diretamente com empresas automotivas que pagaram até US$ 30 mil em contratos de patrocínio. Nada disso teria sido possível se aquele amigo não o tivesse convencido a monetizar seu blog com Adsense.

Allborz não é o único que obteve sucesso com anúncios gráficos. O mesmo ocorreu com o empreendedor Jon Dykstra, da Fat Stacks.

Aqui está um registro dos ganhos de Jon no Adsense em 30 dias.

Receita com publicidade exibida

Receita com anúncios gráficos (Fonte da imagem: Authority Hacker)

Nada mal para uma estratégia ruim de monetização, não é mesmo?

Jon diz que o segredo para seu sucesso no Adsense é o posicionamento otimizado dos anúncios, a geração de muito tráfego nos diversos sites que possui e a seleção de nichos em que anúncios gráficos funcionam.

Um ótimo plugin gratuito do WordPress que você pode usar para otimizar o posicionamento dos seus anúncios é o Ad Inserter. Com ele, é possível fazer o teste A/B facilmente para ver quais anúncios funcionam melhor no seu site e o plugin até permite que você personalize como e onde eles aparecem.

Por exemplo, se você quer que um anúncio seja exibido em seu artigo, mas apenas após os dois primeiros parágrafos de conteúdo, isso pode ser feito facilmente.

Com os anúncios, você não precisa de um produto próprio para vender, mas é necessário ter tráfego. Quanto mais tráfego você gerar, melhor será seu desempenho.

Pode levar algum tempo até que os anúncios comecem a funcionar para você, conforme você expande seu blog e melhora seu marketing de conteúdo, mas eventualmente você chega lá.

Os anúncios não precisam ser permanentes. Eles podem ser apenas uma forma temporária de ganhar dinheiro com seu blog até você encontrar uma maneira melhor de monetizá-lo.

Mas estamos vivendo na era dos ad-blockers e eles estão afetando sua renda de uma forma negativa.

7. Trabalhe com Marketing de Afiliados

Não podemos ter um artigo sobre monetização de blogs sem mencionar o marketing de afiliados. É uma das formas mais comuns que os blogueiros utilizam para ganhar dinheiro on-line.

Na verdade, o marketing de afiliados impulsiona boa parte da rede, já que aproximadamente 15% da receita da indústria de mídias digitais vem daí. Nos EUA, o marketing de afiliados gera tantas vendas de comércio eletrônico quanto os e-mails.

No marketing de afiliados, você promove os produtos de outras empresas e recebe uma comissão por cada venda que ajuda a realizar.

Quem trabalha com marketing de afiliados atua da mesma forma que a maioria dos vendedores. Eles ajudam a promover e vender os produtos de uma empresa e recebem uma comissão quando alguém compra.

Aqui está uma representação visual de como funciona:

Como o marketing de afiliados funciona

Como funciona o marketing de afiliados (Fonte da imagem: HubSpot)

É realmente bem simples. Digamos, por exemplo, que sua comissão seja de US$ 5 por cada venda e você consiga fazer com que 200 pessoas comprem o produto. Você receberá US$ 1.000.

O que atrai as pessoas para o marketing de afiliados é que você pode simplesmente pegar carona em um excelente produto e vendê-lo para o seu público.

Com o Marketing de Afiliados, só é preciso ter três coisas

  1. Um nicho (esse termo parece estar aparecendo muito, não é mesmo? 😉).
  2. Um produto afiliado.
  3. E um público para o qual promover o produto.

Você constrói seu público escrevendo sobre assuntos relacionados ao seu nicho e, uma vez que tenha um público, pode encontrar produtos de redes de afiliados como:

Também oferecemos um programa de afiliados aqui na Kinsta. O programa de afiliados da Kinsta acompanha comissões vitalícias recorrentes de 10% e muitos blogueiros já estão recebendo muita renda passiva com ele.
Affiliate pie
Você também pode ver quais produtos outros blogs em seu nicho estão promovendo e entrar em contato com as empresas por conta própria.

Algo para se ter em mente ao monetizar seu blog com marketing de afiliados é que você precisa se concentrar em oferecer valor para seus leitores, não apenas apresentar produtos para conseguir vendas.

Um bom exemplo é que os melhores blogueiros que trabalham com marketing de afiliados não parecem estar usando marketing de afiliados.

Tome como referência Ryan Robinson, que recebe dezenas de milhares de dólares com ganhos de afiliados todos os meses por meio de seu blog.

Ganhos de afiliados

Ganhos de afiliados (Fonte da imagem: Ryan Robinson)

Ryan cria muito conteúdo valioso para seus leitores e apresentar produtos que ele gosta e usa parece uma parte natural disso.

Uma vez que cada vez mais empresas têm programas de afiliados atualmente, você pode começar a promover produtos independentemente do nicho em que atua.

Ganhar dinheiro com postagens e avaliações patrocinadas é uma das formas menos comuns de monetizar um blog, provavelmente porque é necessário ter muito tráfego e credibilidade para conseguir fazer isso.

Em postagens e avaliações patrocinadas, um blogueiro pode cobrar uma taxa de uma empresa para escrever sobre um produto em seu blog e dar sua opinião ele. O produto é exibido ao público do blogueiro e a marca recebe mais exposição e novos clientes.

Ao pensar em marketing de influenciadores, sua mente rapidamente lembra de imagens de influenciadores que você conhece no Instagram e no YouTube.

Mas escrever postagens patrocinadas em seu blog também faz parte do marketing de influenciadores e está muito em alta atualmente. Mais de 63% das empresas que já usam marketing de influenciadores planejam aumentar seus investimentos este ano.

O marketing de influenciadores já passou por um crescimento gigantesco e espera-se que tenha um tamanho de mercado de cerca de US$ 6,5 bilhões em 2019.

Crescimento do influencer marketing

Crescimento do marketing de influenciadores (Fonte da imagem: Influencer Marketing Hub)

Ao apresentar um produto em seu blog, certifique-se de dar um feedback honesto sobre ele, porque não vale a pena perder a confiança de seus leitores por um pouco de dinheiro.

Por exemplo, Matthew Woodward, que cobra quase US$ 1.000 por uma avaliação patrocinada, destaca claramente em sua página de publicidade que avaliação paga não significa avaliação positiva.

Ser transparente com o público conserva a confiança que eles construíram, que é muito mais valiosa que US$ 1.000.

Lutando com tempo de inatividade e problemas no WordPress? Kinsta é a solução de hospedagem projetada para economizar seu tempo! Confira nossos recursos

Michelle Gardner, do Making Sense of Cents, cobra cerca de US$ 5 mil por postagem patrocinada e ganha entre US$ 10 mil e US$ 20 mil por mês com elas, escrevendo principalmente sobre produtos e serviços que ela mesma usa. Dessa forma, ela é capaz de garantir que as pessoas que compõem seu público também vão gostar deles.

Aqui está um comentário sobre um dos produtos que ela avaliou em seu blog que ilustra o que eu quero dizer:

Engajamento em análise de alta qualidade

Engajamento em avaliação de alta qualidade (Fonte da imagem: Making Sense of Cents)

Conforme mencionei anteriormente, o único ponto negativo de postagens patrocinadas é que você precisa ter uma presença on-line sólida antes de conseguir que as empresas te paguem qualquer valor substancial.

Elas precisam ter certeza que pagar por uma postagem patrocinada resultará em vendas para que o investimento valha a pena. Por isso, postagens patrocinadas podem não ser o melhor sistema de monetização para iniciantes, mas é uma excelente opção para blogueiros mais estabelecidos.

Se seu blog já está gerando tráfego, você pode começar a entrar em contato com empresas de seu nicho cujos produtos e serviços já usa e oferecer seus serviços para escrever uma postagem ou avaliação patrocinada.

Por exemplo, se você escreve sobre tecnologia, pode fazer avaliações patrocinadas para empresas que produzem campainhas inteligentes, notebooks, câmeras, etc.

Alexis Schroeder, do Fit Financials, escreve sobre fitness e finanças pessoais. Por isso, quando começou a gerar tráfego suficiente, ela entrou em contato com empresas da área de finanças pessoais e fitness.

Alexis cobra cerca de US$ 750 a US$ 1.500 por postagem e ganha em média US$ 3 mil por mês com elas.

9. Venda produtos físicos para seu público

Outra forma de monetizar seu blog é vender produtos diretamente para o seu público. Alguns blogueiros chegam até a deixar de vender apenas alguns itens para lançar sites de comércio eletrônico completos, juntamente com seus blogs.

A popular loja de comércio eletrônico Beardbrand, por exemplo, começou como um blog onde o fundador Eric Bandholz escrevia sobre cuidados com a barba antes de começar a vender os produtos pelos quais a Beardbrand é conhecida hoje.

Eric transformou seu blog sobre barbas em um negócio que foi destaque no New York Times, Inc e Shark Tank, e que hoje rende mais de US$ 100 mil por mês.

Beardbrand

Beardbrand (Fonte da imagem: Beardbrand)

Eric não foi o único a descobrir que vender produtos para seu público é uma excelente forma de monetizar seu blog.

Matthew Inman, do The Oatmeal, ganha cerca de US$ 375 mil por ano vendendo mercadorias relacionadas aos quadrinhos que ele desenha em seu blog.

Tanto Eric quanto Matthew podem monetizar seus blogs dessa forma porque construíram uma comunidade dedicada que realmente quer o que eles oferecem.

Se você já desenvolveu um público, uma das formas mais rentáveis de monetizá-lo é vender produtos diretamente para essas pessoas.

Elas já confiam em você e, como você as atende, provavelmente já sabe mais sobre elas do que a maioria dos fabricantes e revendedores.

Shari Lott iniciou o Spearmint Baby como um blog para mães e, à medida que aumentava sua presença on-line, começou a entender melhor o que seu público de mães desejava.

Shari lançou a Spearmint LOVE, uma loja de comércio eletrônico que vende roupas de bebê e, em menos de cinco anos, a transformou em um negócio que faturou US$ 1,5 milhão em 2016.

Site e-commerce de roupas de bebê

Site de comércio eletrônico de roupas de bebê (Fonte da imagem: : Spearmint LOVE)

Se você já tem um público, comece a prestar atenção aos problemas que ele tem e veja se pode vender algo que o ajude a resolvê-los.

10. Venda produtos digitais para seu público

Algumas vezes, a melhor forma de solucionar os problemas do seu público não é usar um produto físico, mas um software ou downloads digitais.

Clay Collins teve a ideia de criar o Leadpages por meio de seu blog, onde escreveu sobre otimização de landing pages. Quando Clay começou a oferecer modelos de landing pages gratuitamente, ele descobriu que as pessoas queriam mais.

Elas queriam personalizá-las, integrá-las com suas ferramentas e até mesmo conduzir testes A/B. Por isso, ele criou o Leadpages, um negócio que agora tem US$ 38 milhões em fundos e gera US$ 25 milhões por ano.

Se você tem outras habilidades que vão além de blogar e criar e-books, não as desperdice. Se conhece codificação, você pode criar softwares ou plugins WordPress e vendê-los para o público que já tem.

E mesmo que não saiba escrever códigos, sempre é possível contratar um desenvolvedor. Omar Zenhom, do Webinar Ninja, criou a primeira versão de seu produto com os desenvolvedores que contratou através do Freelancer.

Você pode inclusive vender produtos digitais como modelos, temas e até mesmo gravações de áudio para seu público, se isso ajudar a resolver um problema.

Por exemplo, a Relaxing White Noise vende faixas de áudio que ajudam seus ouvintes a relaxar e adormecer, enquanto a The Luxe Lens vende modelos de Lightroom e Photoshop para fotógrafos. O site de equipamento de câmera Shotkit vende o Lightroom para ganhar uma comissão.

The Luxe Lens

The Luxe Lens

Você pode até vender itens para impressão, como Jennifer, da lifeismessyandbrilliant, que vende planejadores digitais e adesivos em seu blog.

11. Lance um summit virtual em seu nicho

Se você se mantém atualizado com as tendências da Internet, provavelmente já ouviu falar ou até mesmo participou de um summit virtual alguma vez.

Tenha em mente que summits virtuais ou conferências na web são diferentes de webinars.

A principal diferença é que summits virtuais são muito mais interativos e envolventes. Eles são, essencialmente, conferências nas quais você pode participar on-line com um anfitrião, sessões de perguntas e respostas e diversos interlocutores cobrindo um tema específico.

E embora os summits virtuais sejam geralmente gratuitos, você só pode acessá-los por um período limitado. A maior parte da receita do organizador advém da venda de um “passe de acesso total”, que permite aos participantes consultarem o material da conferência quando quiserem.

Tom Morkers, proprietário do summit $100k Launch School, ganhou mais de US$ 20 mil vendendo passes de acesso total após um summit.

Summit $100k Launch School

Summit $100k Launch School

Anfitriões de summits virtuais também ganham dinheiro vendendo produtos relacionados, como planos de assinaturas e cursos sobre o mesmo assunto após a conclusão do summit.

O que torna o summit virtual uma ótima estratégia de monetização mesmo para novatos é que você não precisa ser um blogueiro conhecido para organizar um. Principalmente porque estará conquistando credibilidade ao entrevistar outros influenciadores em seu espaço.

Jon Schumacher, por exemplo, tinha apenas cerca de dois mil assinantes quando lançou o Webinar Mastery Summit.

O summit não só resultou em quase US$ 26 mil em vendas em apenas 10 dias, como também adicionou 2.854 novos assinantes à sua lista de e-mail.

Summits virtuais existem em quase todos os nichos que se possa imaginar. Por exemplo, no setor editorial, há o Best Seller Summit que ensina como escrever e publicar um livro best-seller.

E o Membership Site Summit ensina empreendedores como lançar e desenvolver um site de assinaturas de sucesso.

Se você já construiu um público, mesmo que não seja tão grande, é possível criar um summit virtual fazendo uma parceria com influenciadores em sua área.

A melhor forma que conheço para encontrar influenciadores com os quais você pode se comunicar em qualquer nicho é usar uma ferramenta como Buzzsumo.

Tudo o que você precisaria fazer seria ir para a página inicial do Buzzsumo e digitar a palavra-chave do seu nicho.

Por exemplo, se quisesse realizar um summit virtual sobre produção editorial, bastaria digitar “produção editorial” na caixa de pesquisa.

Insira uma palavra-chave no Buzzsumo

Insira uma palavra-chave no Buzzsumo

Em seguida, lembre-se de clicar na aba de influenciadores:

Influenciadores no Buzzsumo

Influenciadores no Buzzsumo

Na sequência, é possível filtrar por contagem de seguidores, taxa de resposta ou qualquer outro critério que considere relevante.

Quando você encontrar os influenciadores em seu nicho, pode ser tentador entrar em contato imediatamente e pedir que participem do seu summit, mas isso raramente funciona.

Ao invés disso, você deve construir um relacionamento com eles lentamente, antes de fazer qualquer tipo de pedido. Comece seguindo-os no Twitter, e então leia, comente e escreva postagens como convidado em seus blogs. Em outras palavras, é necessário entregar valor antes de pedir.

12. Aceite doações em seu blog

Você também pode monetizar seu blog possibilitando que seu público faça doações. Isso funciona especialmente bem se a iniciativa não tiver fins lucrativos.

Você pode aceitar doações com plugins WordPress como Give, Charitable e PayPal Donations.

Esta é a aparência do plug-in de doação Charitable na página da campanha do Uganda Water Project:

Uganda Water Project

Uganda Water Project

E embora aceitar doações seja a norma para organizações sem fins lucrativos, esse método também pode ser utilizado para monetizar blogs com outras finalidades.

Talvez você esteja um pouco cético sobre o funcionamento de doações para um blog. Eu também estava, até que comecei a ler sobre blogueiros como Scott Alexander, do Slate Star Codex, que recebe US$ 2.493 todos os meses com apenas 410 fãs no Patreon. Lembre-se que Scott é um blogueiro de meio período e continua com seu emprego durante o dia.

Scott Alexander está criando posts de blog

Scott Alexander está criando posts de blog (Fonte da imagem: Patreon)

Há também blogueiros como Tim Urban, do Wait But Why, que recebe US$ 12 mil por mês somente no Patreon.

No entanto, isso não significa que qualquer blog seja capaz de arrecadar dinheiro com doações.

Para a maioria dos blogueiros que mencionei, levou bastante tempo para começar a receber uma renda substancial com doações.

Isso porque você precisa ter um público realmente dedicado para que as doações funcionem para seu blog e isso exige entregar muito conteúdo valioso gratuitamente no início.

Por exemplo, Tim Urban passa entre 40 e 80 horas escrevendo e fazendo pesquisas para criar cada um de seus posts, alguns dos quais são mais longos que e-books inteiros que as pessoas vendem.

É muito trabalho para criar algo que ele entrega de graça.

Seu público tem consciência disso e adora tanto o trabalho de Tim que o apoia com doações. Tim não seria capaz de receber doações se fizesse apenas listas de 100 palavras toda semana.

Como Aceitar Doações em Seu Blog:

Até aqui, mostrei exemplos de pessoas que aceitam doações com a plataforma Patreon ou usam plugins WordPress de doação.

Mas qual você deve usar? Isso depende do que considera ser mais importante.

Aceitar doações no Patreon pode ser mais caro, porque a empresa cobra uma taxa de 5% sobre a receita recebida e você ainda tem que pagar mais 5% em taxas de operação.

Como retorno, você tem uma plataforma que cuidará de todos os estornos e pagamentos recusados. Além disso, é fácil aceitar doações e administrar seus doadores com o mínimo de esforço. O Patreon tem até um plugin WordPress para te ajudar a ganhar dinheiro com o conteúdo do seu blog.

Por outro lado, se você optar por utilizar plugins WordPress, pagará menos taxas, mas terá que fazer a maior parte das configurações por conta própria. Você também terá que lidar com erros de operação e criar uma forma de gerenciar os doadores por si mesmo.

Portanto, essencialmente, se você quer começar o mais rápido possível e não se importa em pagar mais por uma plataforma pronta, o Patreon é uma ótima opção. Se não se importa em configurar doações e gerenciar doadores por conta própria, então os plugins WordPress são perfeitos para você.

13. Comece um podcast

Os podcasts estão bombando no momento. De acordo com a Paid Insights, em abril de 2019 havia mais de 700 mil podcasts ativos e mais de 29 milhões de episódios.

Mais pessoas estão começando a ouvir podcasts em todo o mundo. Esta é a porcentagem da população que escuta podcasts pelo mundo:

O Estágio do Podcast

O estado do podcasting (Fonte da imagem: Statista)

Se você já tem um blog, incluir um podcast pode ser uma forma bem inteligente de conseguir mais tráfego pegando carona no crescimento dessa mídia.

Podcasts são especialmente bons quando se é um novato, porque a maioria dos blogs estabelecidos em seu nicho possui mais conteúdo escrito que você.

Mas quantos deles têm um podcast?

Os podcasts possibilitaram que John Lee Dumas, da Entrepreneur on Fire, passasse de uma receita de US$ 69.879 em 2012 para US$ 1.545.090 em 2018.

Podcast Entrepreneur on Fire

Podcast Entrepreneur on Fire (Fire Nation)

Os podcasts estão indo tão bem que até mesmo blogueiros populares como Noah Kagan e Darren Rowse agora têm um podcast que complementa o conteúdo regular de seus blogs.

Podcasts não te ajudam apenas a divulgar seu nome e gerar mais tráfego para seu blog. Eles também podem ser outra fonte de receita.

Com um público grande o suficiente, você pode começar a vender espaços patrocinados em seu podcast para empresas que queiram atingir as pessoas que te ouvem.

Andrew Warner, do Mixergy, gera receita adicional oferecendo às empresas a chance de entrar em contato com sua audiência de empreendedores por meio de seu podcast.

Aqui estão dois de seus patrocinadores, em uma entrevista que ele fez com o fundador da Codementor:

Patrocinadores de podcast

Patrocinadores de podcast (Fonte da imagem: Mixergy)

Onde hospedar seu podcast?

Para começar a fazer podcasts, você precisará de um local para hospedar seus arquivos de áudio da mesma forma que ocorre com seu site.

Um servidor de hospedagem de mídia permite que você armazene seus arquivos de áudio, para que eles possam ser reproduzidos e baixados pelos ouvintes.

Algumas servicores para podcasts incluem:

Também existem plugins WordPress que podem ajudar a gerenciar e até mesmo hospedar seus podcasts, como Seriously Simple PodcastingSmart Podcast Player e Simple Podcast Press.

O que você precisa para começar um podcast

A maioria das pessoas superestima o que é necessário para começar um podcast e por isso nunca dá início ao projeto. Mas se você já tem um computador, precisará de poucos recursos adicionais para começar, como:

É isso. Você já pode começar a criar episódios para o mundo inteiro ouvir.

Resumo

Embora esteja mais fácil do que nunca começar um blog, a maioria dos blogueiros, conforme mostra o estudo da ConvertKit, tem problemas para monetizá-lo. Um blog por si só não gera receita, a menos que você encontre uma estratégia de monetização que funcione.

E, como a maioria dos exemplos provou, você não precisa de muito tráfego ou leads para começar a gerar receita para seu blog. E embora o nicho importe, ele não é o fator mais importante para determinar se você terá sucesso.

Vimos pessoas que ganham dinheiro com tênis, barbas, golfe, roupas de bebê, carros e até mesmo orquídeas.

O que você precisa é compreender os números necessários para que sua estratégia de monetização seja bem-sucedida e ter a determinação para trabalhar duro para promover o que tem a oferecer.

Ler este artigo é o primeiro passo. Esperamos que agora você tenha as estratégias e ferramentas para começar a ganhar dinheiro com seu blog.

Tem outras dicas boas sobre como ganhar dinheiro com um blog? Compartilhe conosco nos comentários abaixo.


Economize tempo, custos e otimize o desempenho do seu site com:

  • Ajuda instantânea de especialistas em hospedagem do WordPress, 24/7.
  • Integração do Cloudflare Enterprise.
  • Alcance global com 28 centros de dados em todo o mundo.
  • Otimização com nosso monitoramento integrado de desempenho de aplicativos.

Tudo isso e muito mais em um plano sem contratos de longo prazo, migrações assistidas e uma garantia de 30 dias de devolução do dinheiro. Confira nossos planos ou entre em contato com as vendas com as vendas para encontrar o plano certo para você.