Por vezes pode ser frustrante quando você percebe que não tem acesso suficiente a dados para solucionar problemas no seu site WordPress. Felizmente, com o novo e renovado Análise MyKinsta, você pode investigar e diagnosticar muitos desses problemas diretamente no painel. Hoje iremos analisar cada seção do Análises MyKinsta e compartilhar alguns exemplos (e cenários reais) de como você pode aproveitar esses novos relatórios para melhorar e corrigir seus sites WordPress. Saiba o que está acontecendo nos bastidores!

Entrando no Análises MyKinsta

O painel principal MyKinsta tem algumas informações rápidas sobre a utilização dos recursos, assim como transferência de dados e visitas únicas. Para se aprofundar nos relatórios mais detalhados, você vai querer clicar em Análise, na barra lateral do lado esquerdo.

Entrando no MyKinsta Analytics.
Entrando no MyKinsta Analytics.

Na parte superior, pode filtrar as estatísticas individualmente ou visualizar os dados combinados de todas elas. Você pode optar por ver os dados das últimas 24 horas, 7 dias ou 30 dias.

Filtrar a análise MyKinsta.
Filtrar a análise MyKinsta.

O seção de Análise do MyKinsta está dividido em sete seções diferentes, que iremos analisar em cada uma delas mais abaixo:

1. Recursos

Na seção da utilização de recursos, pode visualizar o número total de visitantes, o uso da largura de banda, o total de solicitações por bytes e o total de solicitações por visitas.

Visitantes

O relatório de visitantes permite observar o número total de pessoas que visitaram seu site WordPress. Se, no gráfico, destacar um ponto específico no tempo, ele exibirá algumas estatísticas de comparação, como o número total de visitantes, que está sendo maior do que o dia anterior, etc. Esse é o número exato de visitantes recebidos no servidor web. Você precisa lembrar que seus filtros e regras Google Analytics não funcionarão aqui. Caso você queira saber o número de visitantes humanos de seu site, todos os serviços irão exibir um número diferente com base no seu próprio conjunto de regras – quem eles consideram tráfego irrelevantes/bots e aqueles que não são.

Recursos – Visitantes
Recursos – Visitantes

Os planos de hospedagem Kinsta têm por base o número total de visitantes do seu site. Leia mais sobre como Kinsta contabiliza os visitantes. Nota: a sua contagem total de visitas na seção de recursos pode ser diferente do total mostrado no painel principal MyKinsta. Isso acontece porque o painel MyKinsta mostra visitas dentro do seu ciclo de faturamento atual.

Utilização da largura deBanda

O relatório de uso de largura de banda exibe o total de dados que o seu site utilizou. Kinsta cobra pelos seus planos com base no número de visitantes do seu site, mas a utilização da largura de banda pode ajudar você a solucionar problemas de desempenho. Se, no gráfico, você destacar um ponto específico no tempo, ele mostrará algumas estatísticas de comparação, como, por exemplo, o total ser menor do que a média desse período, etc.

Recursos – utilização de largura de banda
Recursos – utilização de largura de banda

Recomendamos vivamente que todos os clientes implementem uma CDN. Não só porque notará um aumento na velocidade, mas porque pode ser uma ótima forma de diminuir a largura de banda e os recursos do seu site. A largura de banda de uma CDN é muito barata ou até mesmo gratuita. Veja o nosso artigo detalhado sobre os benefícios de uma CDN no WordPress e por que você deve usar uma. Ou, se estiver pronto, confira como ativar a CDN da Kinsta no seu site.

Principais Solicitações por Bytes

Um byte é uma sequência de bits binários em um fluxo de dados serializado, veiculados em sistemas de transmissão de dados. Em relação ao seu site WordPress, isso normalmente é medido em MBs, GBs e TBs. O número total de bytes transferidos no seu site compõe sua largura de banda. No relatório de principais solicitações por bytes, você pode ver exatamente quais solicitações no seu site estão usando a maior parte da largura de banda.

Recursos – principais solicitações por bytes
Recursos – principais solicitações por bytes

Principais Solicitações por Contagem

O relatório das principais solicitações por contagem mostra para você os recursos mais solicitados do seu site no servidor. Usar esse relatório e os acima pode ajudar você a solucionar problemas e descobrir para onde está indo sua largura de banda. Muitas vezes, você consegue identificar facilmente um padrão.

Recursos – principais solicitações por contagem
Recursos – principais solicitações por contagem

2. Utilização de CDN

Sob a seção de uso CDN, você pode visualizar sua largura de banda CDN, arquivos superiores por pedidos, arquivos superiores por bytes e extensões superiores por bytes. Se um determinado arquivo de mídia do seu site estiver sobrecarregando toda a largura de banda, você terá a possibilidade de o localizar facilmente em alguns segundos.

Utilização de CDN no analytics
Utilização de CDN no analytics

Na parte inferior da seção de uso CDN, você pode ver as extensões de arquivo superior por bytes. Isto facilita ver que tipo de mídia em seu site é responsável pela maior parte do uso de sua largura de banda.

Extensões do arquivo superior CDN.
Extensões do arquivo superior CDN.

3. Dispersão

Na seção dispersão, você pode visualizar diferentes perspetivas sobre o tráfego no seu site.

Dispositivos Móveis vs Desktop

O relatório “dispositivos móveis vs desktop” permite que você veja os dispositivos que estão acedendo ao seu site. No exemplo abaixo, você pode ver que a maioria do tráfego tem origem no desktop, com mais de 86%.

Dispersão – dispositivos móveis vs desktop
Dispersão – dispositivos móveis vs desktop

4. Monitoramento de Desempenho

Na seção do monitoramento de desempenho, poderá ver seu tempo médio de resposta PHP + MySQL, o desempenho PHP, a utilização do AJAX, o tempo médio superior de upstream e o tempo máximo superior do upstream.

Tempo Médio de Resposta PHP + MySQL

Sempre que visita seu site WordPress, o PHP e o MySQL são usados ​​para compilar e consultar os dados que você vê na página. Esse gráfico exiba o tempo médio de resposta do mecanismo PHP e do mecanismo MySQL para cada solicitação dinâmica não armazenada em cache. Ter conhecimento sobre esses tempos de resposta pode ajudar você a solucionar problemas de lentidão. Se você vir picos enormes aqui, sinta-se à vontade para abrir um novo bate-papo com a nossa equipe de suporte.

Performance – Tempo Média de Resposta PHP + MySQL
Performance – Tempo Média de Resposta PHP + MySQL

Produtividade PHP

A produtividade indica o número de transações por segundo que um aplicativo pode manipular e nesse relatório diz respeito à produtividade PHP do seu site WordPress. Em outras palavras, mostra quantas vezes um recurso do PHP foi solicitado.

Desempenho – Produtividade PHP
Desempenho – Produtividade PHP

Limite de Trabalhadores PHP

O gráfico de limite de PHP workers mostra quantas vezes o mecanismos PHP informou ter alcançado o número máximo de PHP workers alocados em seu log de erros. Por exemplo, se seu plano inclui 4 PHP workers, e seu site utiliza todos os 4 PHP workers ao mesmo tempo e é incapaz de responder imediatamente às solicitações de PHP recebidas, isso contaria como um limite de PHP workers.

Cada um dos planos de hospedagem na Kinsta tem um número específico de PHP Workers. Esse gráfico pode ajudar você a avaliar se o seu site está continuadamente atingindo limites, e também como a atualização para uma nova versão do mecanismo PHP pode afetar você.

Limite de trabalhadores PHP
Limite de trabalhadores PHP

Utilização de AJAX

O AJAX é um script do lado do cliente que comunica de e para um servidor/base de dados sem necessitar de um postback ou de uma atualização completa da página. Em relação ao WordPress, muitos de vocês provavelmente já viram isso nos testes de velocidade. Os dois principais problemas com o AJAX incluem plugins que causam problemas de pico de tráfego e problemas CPU no back-end. Garanta que verifica em detalhe o nosso artigo sobre como diagnosticar a utilização elevada do Admin-AJAX no seu site WordPress.

Utilização Admin-AJAX
Utilização Admin-AJAX

O relatório de uso do AJAX na análise do MyKinsta pode ser uma ótima maneira de ajudá-lo a solucionar esses tipos de problemas. Você pode ver se há picos de uso de AJAX durante certos períodos. Esse gráfico mostra a contagem das solicitações do admin-ajax. Você pode utilizar algumas das dicas no artigo supracitado para restringir a origem delas.

Desempenho – utilização do AJAX
Desempenho – utilização do AJAX

Tempo médio superior de resposta PHP + MySQL

O tempo de upstream é o tempo total necessário para o NGINX (e servidores upstream) processarem uma solicitação e enviarem uma resposta. O tempo é medido em segundos, com resolução de milissegundos. Leia mais sobre a métrica NGINX. Esta lista mostra os tempos médios superiores de resposta PHP e MySQL (combinados) para suas solicitações.

Desempenho - Média superior do tempo de resposta PHP + MySQL
Desempenho – Média superior do tempo de resposta PHP + MySQL

Tempo Máximo Superior de Upstream

Essa lista exibe os principais tempos de resposta PHP e MySQL.Por favor, note que estes números podem ser picos únicos. Sugerimos comparar esta lista com o tempo médio superior do upstream.

Desempenho – tempo máximo superior de upstream
Desempenho – tempo máximo superior de upstream

5. Resposta

Na seção dedicada à análise de respostas, pode ver uma análise detalhada do código de resposta, as estatísticas de resposta, a análise aos erros 500, erros 400, falhas de redirecionamento e os principais erros 404.

Análise Detalhada aos Códigos de Resposta

O relatório dos códigos de resposta permite ter uma visão geral da distribuição dos códigos de status HTTP exibidos para os recursos solicitados. Códigos de resposta, também conhecidos como códigos de status HTTP, nem sempre são ruins. Por exemplo, um código de status HTTP 200 significa que “Tudo está bem”. Esse é o código apresentado quando uma página web ou um recurso atua exatamente da forma esperada.

Resposta – análise aos códigos de resposta
Resposta – análise aos códigos de resposta

Estatísticas de Resposta

O relatório de estatísticas de resposta permite que você veja o número total de redirecionamentos, erros, taxa de sucesso e rácio de erros. Todo o site WordPress terá normalmente uma pequena taxa de erro, e algo totalmente normal.

Resposta – estatísticas de resposta
Resposta – estatísticas de resposta

Relatório de Erros 500

O relatório dos erros 500 erros exibe o número total de erros 500 ocorridos no servidor. Abaixo você encontra uma explicação mais detalhada do que cada um deles significa:

  • 500: “Houve um erro no servidor e a solicitação não pôde ser completada.” Um código genérico que significa que houve um “erro interno no servidor“. Algo deu errado no servidor, e o recurso solicitado não foi entregue.
  • 502: “Bad Gateway.” Esse código de erro significa normalmente que um servidor recebeu uma resposta inválida de um outro. Por vezes, uma consulta ou solicitação demora muito e, por isso, é cancelada ou eliminada pelo servidor. Leia mais sobre o porquê de um erro 502 bad gateway ocorrer.
  • 503: “O servidor está indisponível para lidar agora com essa solicitação.” O pedido não pode ser concluído agora. Esse código pode ser apresentado por um servidor sobrecarregado que não pode gerenciar solicitações adicionais. Temos um guia passo a passo sobre como corrigir o erro indisponível do serviço 503 no WordPress.
Resposta – relatório de erros 500
Resposta – relatório de erros 500

Relatório de Erros 400

O relatório de erros 400 exibe o número total de erros 400 ocorridos no servidor. Eis uma explicação mais detalhada do que cada um deles significa:

  • 401: “Não autorizado.” Ele é apresentado pelo servidor quando o recurso alvo não tem credenciais de autenticação válidas.
  • 403: “O acesso a esse recurso está proibido.” Esse código é apresentado quando um usuário tenta aceder algo para o qual não tem permissão. Por exemplo, tentar visualizar o conteúdo protegido por senha sem efetuar login pode provocar o erro 403.
  • 404: “O recurso solicitado não foi encontrado.” A mensagem de erro mais comum. Esse código significa que o recurso solicitado não existe e que o servidor não sabe se alguma vez existiu.
  • 405: “Método não permitido.” Isso acontece quando o servidor de hospedagem (servidor de origem) oferece suporte para o método recebido, mas não ao recurso alvo.
  • 429: “Demasiadas Solicitações.” Isso normalmente é provocado pelo servidor quando o usuário enviou muitas solicitações em um determinado período de tempo (limitação de taxa). Isso, muitas vezes, pode acontecer por bots ou scripts que tentam forçar sua entrada na página padrão de login WordPress. Você pode ajudar a bloquear seu site alterando seu URL de login WordPress.
  • 499: “O cliente fechou o pedido.” Esse erro é apresentado pelo NGINX quando o cliente fecha o pedido enquanto o NGINX ainda o está processando.
Resposta – relatório de erros 400
Resposta – relatório de erros 400

Relatório de Redirecionamentos

O relatório de erros 300 mostra o número total de erros 300 que ocorreram no servidor. É preciso lembrar que, à semelhança dos códigos de resposta 200, nem todos os erros são ruins. Os erros 300 normalmente significam que você simplesmente passou o conteúdo para outro lugar. Os redirecionamentos 301, por exemplo, são muito importantes, pois ajudarão a manter suas classificações SEO durante as alterações de URL e site. Aqui fica uma explicação mais detalhada sobre o que cada um deles significa.

  • 301: “O recurso solicitado foi permanentemente movido.” Esse código é apresentado quando uma página web ou um recurso foi substituído permanentemente por um recurso diferente. É usado para fazer o redirecionamento permanente de um URL.
  • 302: “O recurso solicitado foi movido, mas foi encontrado.” Esse código é utilizado para indicar que o recurso solicitado foi encontrado, mas não no local em que era esperado. É usado para o redirecionamento temporário do URL.
  • 304: “O recurso solicitado não foi alterado desde a última vez que você acedeu a ele.” Esse código informa o navegador de que os recursos armazenados no cache do navegador não foram alterados. É utilizado para acelerar a entrega de páginas web, reutilizando recursos anteriormente baixados.
Resposta – relatório de redirecionamentos
Resposta – relatório de redirecionamentos

Principais Erros 404

Este relatório de erros 404 ajuda a solucionar os recursos mais solicitados que os visitantes ou bots automatizados estão atingindo e que não existem mais em seu site.

Principais erros 404
Principais erros 404

Se você ver uma grande quantidade de erros 404, é recomendável que você examine o seu site e os corrija para fins de SEO e usabilidade. Você também pode pesquisar os erros no Google Search Console no separador dos erros rastreamento.

Corrigir erros 404
Corrigir erros 404

6. Análise de Cache

Na seção de análise de cache, você pode ver a pilha de componentes de cache, bypasses (negações) totais de cache e gráfico de componentes de cache.

Pilha de Componentes de Cache

Sempre que um arquivo ou recurso é solicitado aos servidores Kinsta, ele envia um valor no cabeçalho de resposta HTTP (X-Kinsta-Cache) para que você saiba o status do cache.

Cabeçalho de resposta HTTP
Cabeçalho de resposta HTTP

Existem quatro tipos de cabeçalhos de resposta de cache apresentados:

  • HIT: Um HIT significa que o recurso está sendo apresentado pelo cache nos servidores Kinsta. Normalmente, isso é o que você quer ver.
  • BYPASS: Isso provavelmente indica a presença de uma regra ou conflito que está impedindo o armazenamento em cache do recurso. Temos regras em vigor para que determinadas coisas no seu site WordPress não sejam armazenadas em cache. Por exemplo, sua página /wp-login.php é uma delas. Isso garante a funcionalidade adequada ao efetuar login no seu painel.
  • MISS: Isso quer dizer que o conteúdo ainda não está no cache, mas estará após a primeira solicitação. O segundo pedido para esse arquivo será um cache HIT. Sempre que limpar o cache do seu site WordPress, ele terá de ser reconstruído pelas pessoas que o visitam. É por isso que recomendamos não limpar todo o cache constantemente. O plugin Kinsta MU limpa automaticamente apenas algumas seções do seu site para que o restante permaneça em cache. Leia mais sobre como Kinsta gerencia o cache .
  • EXPIRED: Significa que o conteúdo em cache expirou e foi apresentado o novo conteúdo do servidor de hospedagem.

O relatório da pilha de componentes de cache permite ver o número total de valores do cabeçalho de resposta que foram gerados no seu site.

Pilha de componentes de cache - cache
Pilha de componentes de cache – cache

Gráfico de Componentes de Cache

O gráfico de componentes de cache é mais uma forma de visualizar suas solicitações de cache totais.

Cache - Gráfico do componente cache
Cache – Gráfico do componente cache

Principais Bypasses de Cache

O relatório de principais bypasses de cache permite ver algumas das principais solicitações que estão ignorando o cache nos servidores Kinsta. É bom ver isso e garantir que eles existem. No exemplo abaixo, podemos ver que o plugin de notificação push OneSignal tem alguns arquivos que estão ignorando o cache. Tendo em consideração a forma como o plugin funciona, isso não tem problema. Também podemos ver que o /wp-cron.php não é armazenado em cache, o que está correto.

Cache – principais bypasses de cache
Cache – principais bypasses de cache

7. Análise Geográfica & IP

Na seção de análise Geográfica, você pode ver os principais países, regiões, cidades e o principal endereço IP que visitam o seu site.

Principais Países

O relatório dos principais países pode ser uma boa forma de determinar onde você deve colocar seu site WordPress. Essa é uma análise geográfica organizada por país das solicitações feitas pelos endereços IP dos visitantes. No exemplo abaixo, o site deve provavelmente ser colocado em um servidor nos Estados Unidos, já que a maior parte do tráfego provem de lá. Leia a nossa postagem detalhada sobre latência da rede e o porquê de ser importante posicionar seu site estrategicamente. Kinsta tem agora 32 localizações do Google Cloud Platform em todo o mundo, onde pode hospedar seu site WordPress.

Geolocalização & IP - principais países
Geolocalização & IP – principais países

Principais Regiões

Este relatório é uma análise de geo por região das solicitações de endereços IP dos visitantes.

Geolocalização & IP - principais regiões
Geolocalização & IP – principais regiões

Principais Cidades

O relatório das principais cidades é uma análise geo por cidade das solicitações de endereços IP dos visitantes.

Geolocalização & IP – principais cidades
Geolocalização & IP – principais cidades

Principais IPs de Clientes

O relatório dos principais IPs de clientes pode ser muito útil se o seu site gerar subitamente muita largura de banda ou ser alvo de bots. Isso exibe os principais endereços IP, listados de acordo com a contabilização de solicitações.

Geolocalização & IP – principais IPs de cliente
Geolocalização & IP – principais IPs de cliente

De que forma pode utilizar esses dados? Recentemente fizemos um estudo de caso em um pequeno site WordPress e-commerce. A análise dos 10 principais IPs de clientes do site nos últimos 7 dias mostrou alguma atividade suspeita. A maioria deles tinha mais de 10,000 pedidos e em número considerável. Provavelmente, foi um ataque DDoS ou de força bruta. Entrando alguns dos principais IPs na busca do Google, podemos ver que a maioria deles eram endereços proxy, o que significa que alguém estava mais provavelmente querendo esconder seu tráfego.

IP de Proxy
IP de Proxy
O próximo passo neste cenário que recomendamos é chegar à nossa equipe de suporte para bloquear os IPs para você ou considerar um firewall de aplicação web como Cloudflare ou Sucuri. Você pode conferir os nossos estudo de caso no qual o Sucuri bloqueou instantaneamente todo esse tráfego ruim.

Notas Adicionais

Os dados completos de registro em relação à análise são mantidos por 30 dias. Sugerimos que verifique com maior frequência o painel e a seção de análise após migrar para Kinsta. Se notar um aumento ou incoerência de tráfego sem explicação, informe a nossa equipe e poderemos investigar com maior detalhe os registros para ajudar a determinar a causa.

Com todos os dados acima, esperamos que agora você tenha uma melhor compreensão de como a Kinsta está fornecendo conteúdo aos seus visitantes.